Prédio do Hotel Cassina será transformado em polo para startups

De acordo com o prefeito de Manaus, Artur Virgílio Neto, a obra de restauro custará mais de R$ 12 milhões e deve ser concluído em até 360 dias

Manaus – Com o propósito de estimular a Economia 4.0 na capital amazonense, o prefeito de Manaus, Artur Virgílio Neto, lançou, nesta quarta-feira (18), o restauro de um dos prédios do Centro Histórico Manaus, o antigo Hotel Cassina, entre a esquina das ruas Bernardo Ramos e Governador Vitório. O projeto visa implementar no local um polo tecnológico para startups.

O antigo Hotel Cassina foi construído em 1899, sendo o primeiro estabelecimento de hospedagem de primeira classe na capital. Segundo o prefeito, o restauro custará mais de R$ 12 milhões e deve ser concluído em até 360 dias. Para ele, a implementação de um polo de startups dará a possibilidade dos jovens criar seus próprios negócios, além de fechar parcerias com outras empresas, tornando-se uma parte importante na inserção do Amazonas na Economia 4.0.

“A ideia é transformar o templo do desperdício e daquela farra que envolvia toda a economia da borracha e aqueles resultados milionários. Eu quero fazer um templo da Economia 4.0, um templo da entrega aos nossos jovens que gostam de trabalhar com informática, com criação, fazer disto aqui um polo de alto conteúdo tecnológico para startups”, disse.

O diretor presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), Claudio Guenka, reiterou que o restauro do hotel é uma obra emblemática para a cidade e precisa ser tratada com técnica e dedicação. “Precisamos entregar isso a população da cidade de Manaus e dar uma destinação, porque um prédio abandonado, antigo, histórico para a cidade, ele precisa ser valorizado e tratado com seu devido respeito”, afirmou.

Segundo secretário Municipal do Trabalho, Empreendedorismo e Inovação (Semtepi), Marcos Pessoa, a pasta tem trabalhado uma legislação, em parceria com a Secretaria Municipal de Finanças (Semef), para incentivar as empresas startups a ocupar o novo espaço.

“Nós consideramos que esse casarão inovação vai ser um marco da restauração do Centro. Assim como foi em Recife, nos anos 2000, onde conseguiram restaurar e reabitar o Centro, transformando em um porto digital, arrecadando bilhões. Este é o nosso sonho”, falou.

Anúncio