Prefeitura anuncia chamamento público em até 60 dias para implantar BRT

O sistema será realizado por meio de Parceria Público-Privada (PPP) e a previsão da prefeitura é que seja investido até 30% do orçamento no novo sistema

Manaus – A Prefeitura de Manaus vai fazer um chamamento público, em até 60 dias, para empresas que desejam implantar o Bus Rapid Transit (BRT) na capital. O sistema será realizado por meio de Parceria Público-Privada (PPP) e a previsão da prefeitura é que seja investido até 30% do orçamento no novo sistema que deverá custar cerca de R$ 1,2 bilhão.

O anúncio foi feito na noite desta segunda-feira (5). (Foto: Divulgação/Girlene Medeiros)

O anúncio foi feito, na noite desta segunda-feira (5), em uma das sedes da Prefeitura, no Palácio Rio Branco, no Centro de Manaus. Segundo o prefeito de Manaus, Arthur Neto, o BRT é o modal de transporte público que mais se adapta à realidade de Manaus. “Acredito que o BRT dá vazão à demanda e com boa relação custo-benefício”, afirmou.

Ainda de acordo com Arthur, a prefeitura deverá buscar um controle sobre o valor da tarifa do BRT. A previsão é que alguns trechos do sistema devem ficar prontos em cerca de três anos, após a definição do consórcio escolhido para implantar o sistema, o tempo mínimo para trâmite legal até a licitação, e o início das obras. “No espaço de quase três anos que a gente tem, dá para inaugurar vias importantes, estações relevantes”, disse Artur.

A previsão é que alguns trechos do sistema devem ficar prontos em cerca de três anos. (Foto: Ricardo Oliveira/Semcom)

De acordo com o vice-prefeito e titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), Marcos Rotta, o chamamento vai incluir detalhes do sistema solicitado pela prefeitura, como valor a ser investido, modelo dos ônibus, linhas, estações e contrapartida do município que pode ser de até 30% do valor do sistema. “Estamos calculando que seja entre R$ 300 e 400 milhões de contrapartida da prefeitura”, disse Rotta, acrescentando que serão estudadas as várias fontes de financiamento, como a da Caixa Econômica Federal que tem linhas exclusivas para BRT.

Proposta Civi

Na ocasião, um consórcio, que inclui as empresas Volvo e Tracbel, foi o primeiro grupo empresarial que se interessou em participar da PPP e apresentou uma proposta de BRT para a capital com base em sistemas instalados em cidades como Rio de Janeiro, São Paulo e Bogotá, capital da Colômbia. É o City Vehicle Interconnect (Civi).

Na explanação da proposta, ainda fora dos trâmites legais, o executivo da Volvo, Ayrton Amaral, apontou a união de conceitos físicos de infraestrutura adaptados à Manaus com a tecnologia atual. No sistema BRT, denominado ‘Amazonic’, o consórcio inclui velocidade e wi-fi dos ônibus e pontualidade do sistema. “A gente pode dar um grau de experiência para as pessoas com pontualidade e rapidez”, disse Amaral.

Anúncio
Anúncio