Prefeitura elabora planilha de custos de obra para cobrar a Manaus Ambiental

De acordo com a Prefeitura, a obra era de responsabilidade da Manaus Ambiental, pois a cratera foi aberta pelo vazamento de água e o Executivo assumiu para agilizar a liberação daquela via

Manaus – A Prefeitura começou o processo de elaboração da planilha de custos da obra emergencial da Rua Pará, bairro Nossa Senhora das Graças, zona centro-sul, referentes à contenção da erosão e fechamento da cratera aberta no domingo, de responsabilidade da Manaus Ambiental. O objetivo é pedir o ressarcimento para a concessionária de água e esgoto.

Seguindo determinação do prefeito Arthur Virgílio Neto, o vice-prefeito, Marcos Rotta, reuniu, nesta quarta-feira (21), com todos os subsecretários e o corpo técnico da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), da qual é o titular, para dar início aos trabalhos de levantamento de custos.

De acordo com a Prefeitura, a obra era de responsabilidade da Manaus Ambiental, com os trabalhos de recuperação de 20 metros de drenagem profunda na cratera aberta pelo vazamento de água. A Prefeitura informou que assumiu os trabalhos em razão da agilidade necessária à liberação da via para o fluxo de veículos.

Levantamento: Marcos Rotta reuniu os subsecretários e o corpo técnico para elabora a planilha (Foto: Alexandra Fonseca)

Segundo Rotta, com a reunião, agora serão tomadas as medidas cabíveis para que a Prefeitura seja ressarcida pela Manaus Ambiental, já que o Executivo agiu com urgência para resolver um problema de responsabilidade da mesma. “Iremos contabilizar cada centavo gasto com aluguel de maquinário, horas extras, insumos, combustíveis, enfim, todo material utilizado. Assim que a planilha for finalizada, a conta será enviada à concessionária, que terá de reembolsar o município”, enfatizou Rotta.

O vice-prefeito ressaltou que, após ser concluída, a planilha será entregue ao prefeito Arthur Neto, que irá analisar e estudar de que forma será feito o ressarcimento, o qual pode ser, inclusive, por meio de medidas compensatórias.

Trabalhos
A cratera na Rua Pará surgiu no último domingo. Para sanar o problema, 70 servidores da Seminf trabalharam durante mais de 48 horas no local. Foram usadas na ação aproximadamente 30 máquinas pesadas, toneladas de barro, seixo, cimento, areia, tubos de drenagens, meio-fio, sarjetas e massa asfáltica.

De acordo com a Prefeitura, os prejuízos causados em áreas particulares, como a de um posto de combustível e uma lanchonete também serão contabilizados e cobrados da empresa.