Prefeitura leva vacina contra o H1N1 a comunidades indígenas

Percorrendo a calha do Rio Negro, as equipes da Semsa têm como meta vacinar 450 indígenas de sete comunidades, contra a gripe Influenza A

Manaus – Comunidades indígenas localizadas às margens do Rio Negro receberam, nesta quinta-feira (4), as equipes de saúde da Prefeitura de Manaus para serem imunizadas contra a Influenza (vírus H1N1). Mesmo com a meta de vacinar 90% do público-alvo, estabelecida pelo Ministério da Saúde, já ultrapassada na capital, o prefeito Arthur Virgílio Neto determinou que o índice específico de vacinação dos grupos prioritários alcance o percentual desejado.

“Alcançamos a meta em tempo recorde, antes mesmo dos 15 dias que havia estipulado. Esperamos chegar aos 100% e ampliar a imunização para outros grupos que também estão mais expostos ao vírus, como rodoviários, feirantes e trabalhadores da limpeza e infraestrutura”, destacou o prefeito.

Além dos indígenas, a Semsa continua no objetivo de bater a meta de vacinação de grávidas e crianças (Foto: Altemar Alcântara/Semcom)

Até às 21h da última quarta-feira (3), o percentual geral de vacinação era de 99,14% das 455.083 pessoas do público-alvo. Indígenas e grávidas são os grupos que ainda não bateram a meta – 25,12% e 80,81% – respectivamente. O grupo de crianças já alcançou os 90,53%. Além da imunização em aldeias, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) também está atuando com vacinadores nas maternidades, lembrando que as doses contra a Influenza seguem disponíveis ao público-prioritário nas 183 salas de vacinação do município.

“As equipes ficam até sexta-feira (5), visitando sete comunidades no rio Negro. Vamos continuar esperando as grávidas para vacinar e, somando com os indígenas, fechar essa campanha com chave de ouro”, destacou o secretário da Semsa, Marcelo Magaldi.

Percorrendo a calha do rio negro, as equipes da Semsa têm como meta vacinar 450 indígenas de sete comunidades, sendo elas: Terra Preta, Nova Esperança, Três Unidos, São Tomé, Kuanã, Boa Esperança e Barreirinha.

Com cartão de vacina em mãos, 88 pessoas, de 27 famílias, foram vacinadas na comunidade indígena Três Unidos, localizada a cerca de uma hora e meia de barco de Manaus, na boca do rio Cuieiras. Nesta quinta-feira, a vacina estava sendo esperada pelos moradores, que sabem da importância de se prevenir.

Anúncio