Prefeitura realiza transferência de indígenas waraos para novo abrigo

Ação faz parte de um processo de transferência gradativa de indígenas venezuelanos da etnia warao, para um novo abrigo, localizado em um sítio no bairro Tarumã-Açu

Manaus – A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), realizou na manhã desta quinta-feira (3), mais uma etapa do processo de transferência gradativa de indígenas venezuelanos da etnia warao, para um novo abrigo, localizado em um sítio no bairro Tarumã-Açu, na zona oeste de Manaus. As famílias transferidas estavam abrigadas em espaços de acolhimento provisório nos bairros Compensa e São Jorge, ambos na zona Oeste.

Prefeitura realiza transferência de indígenas waraos para novo abrigo (Foto: Altemar Alcântara / Semcom)

 

“Essa medida tem o objetivo de minimizar o risco de contágio da Covid-19. O espaço foi projetado para garantir as condições necessárias a essas comunidades. Existem famílias que estavam residindo em abrigos diferentes e com essa medida, nós conseguimos reaproximar essas pessoas, garantindo que as tradições e os laços culturais não se desfaçam”, afirmou Mirella Lauschner, diretora do Departamento de Proteção Social Especial da Semasc.

O abrigo conta com redário, salão para trabalhos coletivos (respeitando o número máximo para ocupação, conforme as recomendações das autoridades de saúde), salas técnicas, refeitório, banheiros, lavatórios e pontos para lavagem das mãos. No espaço serão ofertados atendimento psicossocial, atividades lúdicas, além de orientação e encaminhamento para a rede socioassistencial.

A ação contou com apoio de agências das Nações Unidas, como o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur); a Organização Internacional para Migrações (OIM); o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef); e o Fundo de Populações das Nações Unidas (Unfpa). Apoiaram, também, instituições da sociedade civil, como o Instituto Mana, Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (Adra) e Aldeias Infantis SOS.

Técnicos da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) realizaram a triagem e avaliações médicas dos venezuelanos warao, e servidores da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp) também participaram da realocação.

“O Acnur está presente diariamente com apoio técnico e com a doação de itens de necessidade básica. Hoje, estamos auxiliando nessa realocação, dando apoio logístico e também doando redes para essas famílias. Desde 2017, quando começaram as ações de acolhimento aos venezuelanos waraos, que nós atuamos em conjunto com a Semasc e as demais secretarias”, declarou a assistente sênior de proteção da Acnur, Juliana Serra.

Conforme a assistente de projeto da OIM, Dina Carmona, desde que a OIM chegou em Manaus, a entidade tem trabalhado em conjunto com as demais agências da ONU, secretarias, organizações em projetos sociais. “Temos trabalhado, principalmente na parte da alimentação, mas começamos a atuar também com a doação de itens de higiene e em breve, vamos atuar também na área da saúde”, informou.

Dimmi Mendonça, 29, que mora com a esposa e três filhos, aprovou o novo espaço. “Estamos vindo para um espaço maior e melhor. Só temos a agradecer a todas as organizações que estão nos ajudando desde a nossa chegada aqui no Brasil”, concluiu. 

 

Anúncio
Anúncio