Profissionais da educação realizam carreata contra retorno às aulas no AM

Mais de cem carros percorreram algumas ruas na zona oeste de Manaus até a sede Governo do Amazonas, no bairro Compensa

Manaus – O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam) realizou na manhã desta segunda-feira(31) uma carreata contra as aulas presenciais antes da imunização da categoria no Amazonas.

Segundo o Sinteam, a manifestação deu início à greve da rede estadual de ensino no Estado. Mais de cem carros percorreram algumas ruas na zona oeste de Manaus até a sede Governo do Amazonas, no bairro Compensa. O objetivo era forçar a abertura do diálogo com o pode público, para onde foram enviados diversos pedidos de audiência desde o início do ano.

“Não há consideração nem respeito com os trabalhadores. Tem gente que não recebeu nem a primeira dose da vacina. Queremos evitar a terceira onda. O interior não tem UTIs e começamos a receber denúncia de novos casos entre trabalhadores que voltaram às escolas no dia 19”, disse a presidente do Sinteam, Ana Cristina Rodrigues.

blank

(Foto: Reprodução)

Ainda nesta segunda-feira(31) acontece a assembleia para tratar sobre a possível adesão dos servidores da educação aderirem à greve.  Amanhã uma nova assembleia deve ser realizada para tratar o indicativo de greve. “A paralisação é para as atividades presenciais. Nós vamos continuar com as atividades remotas como já vínhamos fazendo”, explicou Ana Cristina.

Casos confirmados
Várias denúncias de casos confirmados de Covid-19 começaram a chegar ao Sinteam.

Em Envira, professores da Escola Estadual de Tempo Integral Benedita Barbosa de Souza, testaram positivo sexta-feira passada, dia 21 de maio. Outro caso foi confirmado na manhã desta segunda-feira(31). Ao todo são quatro casos nessa escola.

Em Manaus, na Escola Municipal Rubens Sverner, no bairro Novo Israel, a gestora, a secretária e uma professora testaram positivo e hoje avisaram os pais que as aulas que iniciariam hoje foram canceladas.

Em Barreirinha, no Distrito de Vila Cândida, também há casos positivos de trabalhadores em educação.

Anúncio