Profissionais da saúde do 28 de Agosto paralisam atividades

A manifestação, que durou cerca de uma hora, ocorreu na manhã desta segunda-feira (27) e reivindica equipamentos de trabalho e salários atrasados

Manaus – Cerca de 200 profissionais da saúde, entre enfermeiros e técnicos de enfermagem que atuam no Hospital e Pronto-Socorro (HPS) 28 de Agosto, no bairro Adrianópolis, zona centro-sul da capital, paralisaram suas atividades, por cerca de uma hora, na manhã desta segunda-feira (27), como forma de protesto pelos salários atrasados e falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

O ato, que já tinha sido anunciado neste domingo (26), também teve aderência de médicos que trabalham na unidade de saúde. De acordo com o enfermeiro Gerson Bastos, a manifestação busca alertar a sociedade para falta de EPIs para os profissionais que estão atuando na linha de frente do combate ao novo coronavírus (Covid-19).

Eles destacam, também, a aglomeração causada no ponto eletrônico devido falta de espaço e a falta de materiais para higienização. “Ainda tem a questão da insalubridade, salários atrasados, falta de alimentação, escala defasada, falta de medicamentos (tamiflur), sobrecarga de trabalho, falta de aparelho de pressão, oxímetro, gasômetro e, até mesmo, lixeira para descarte de material utilizado no tratamento dos pacientes”, salientou Bastos.

*Mais informações em instantes