Programa Saneamento Brasil Rural é lançado pela Funasa

Iniciativa prevê a implantação de saneamento básico nos municípios do interior do Amazonas, por meio de parceria com várias instituições

Manaus – A Fundação Nacional de Saúde (Funasa) lançou o Programa Saneamento Brasil Rural, com o objetivo de levar saneamento básico aos municípios do interior do Amazonas, por meio de parceria com várias instituições. A expectativa é atender 40 milhões de pessoas das áreas rurais do País até 2038. A cerimônia aconteceu nesta quinta-feira (16), na sede da Funasa, Rua Osvaldo Cruz, bairro Glória, zona oeste, e contou com a presença de prefeitos do interior do Estado, do deputado Silas Câmara e outras autoridades.

O superintendente da Funasa no Amazonas, Wenderson Monteiro, disse que os municípios vão receber orientação para buscar recursos para o saneamento básico por meio da união entre Estado, municípios e terceiro setor, onde Ong’s e empresas privadas podem fazer parte. “Buscamos aproximar os entes federativos que atuam na área do saneamento no País para que juntos busquemos projetos comuns que possam levar água de qualidade, saneamento básico em áreas rurais, banheiros, entre outros”, declarou.

O lançamento do Programa Saneamento Brasil Rural aconteceu nesta quinta-feira (16), na sede da Funasa, zona oeste (Foto: Anamaria Leventi/Divulgação)

O programa é do governo federal e está sob a responsabilidade do Ministério da Saúde, por meio da Funasa, que visa alcançar as populações do campo, da floresta e águas e os povos originários, como comunidades indígenas, extrativistas, aglomerados rurais, entre outros. As metas foram estabelecidas prevendo horizontes de curto, médio e longo prazo, no período de 2019 a 2038.

“Hoje, nosso país não consegue dar mais um passo sem resolver o problema do saneamento básico, isso é um problema nacional. A parte do resíduo sólido é um problema para todos os prefeitos e o governo federal, por meio do presidente Jair Bolsonaro, que entendeu isso junto com nosso ministro Onyx Lorenzoni, nos deu essa missão e a Funasa tem o privilégio de ser um dos principais atores desse guarda-chuva”, disse o superintendente.

Durante o evento, foram assinados convênios com recursos federais no valor de R$ 20 milhões que serão repassados para os municípios de Alvarães, Anamã, Anori, Careiro Castanho, Santo Antônio do Içá e Caapiranga, para investimentos em sistema de abastecimento de água.

Segundo o deputado federal Silas Câmara, o recurso oriundo de emenda impositiva é voltado para as obras mais estruturantes, para investimento no abastecimento completo na sede dos municípios.

“Nós incorporamos aqui na Funasa, em termos de investimento orçamentário através do nosso mandato, por meio da bancada federal do Amazonas, em emendas individuais e bancada impositiva, o montante de R$ 50 milhões em três anos, e agora assinamos convênio no valor de R$ 20 milhões. O Amazonas é um Estado extremamente carente onde os municípios têm, ou por necessidade de extensão ou por necessidade mesmo de ter um sistema de abastecimento de energia moderna bem aplicada e construída, em quase todo o Estado”, disse.

Para o prefeito de Santo Antônio do Içá, Abraão Magalhães, o convênio veio para somar e trazer água tratada para a população, que por meio de outras parcerias com a Funasa já foram estruturados 11 tanques de água tratada nas comunidades da zona rural.

“É de uma importância muito grande porque é um problema de quase todos os municípios do interior. Será uma parceria que vai somar e ser muito boa para o Santo Antônio do Içá, essa questão da água potável que vai ser água tratada. Nós já temos uma parceria com a Funasa a respeito dos banheiros, e só na nossa gestão foram construídos mais de 160 banheiros”, disse.

De acordo com o prefeito de Anamã, Francisco Bastos, o município com 12 mil habitantes está entre os três mais críticos em situação de água potável e o convênio orçando em cerca de R$ 3 milhões e 800 mil vem para resolver esse problema de água tratada que perdura no município há anos.

“Vai ser resolvido o problema de água de Anamã, com água potável tratada, que hoje o município não tem. Na verdade, a sociedade vem sofrendo anos e anos com esse problema, e agora a gente vai resolver”, garantiu.