Quarto suspeito da morte de Bruno e Dom é preso em São Paulo

Homem de 26 anos disse que foi o responsável por pilotar barco que Amarildo da Costa usou para cometer os crimes

São Paulo – Gabriel Pereira Dantas, 26, suspeito de participação nas mortes indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips, se apresentou nesta quinta-feira (23), à polícia em São Paulo. Ele abordou os policiais em uma praça pública, no centro da cidade e informou que estava envolvido no crime.

Gabriel Dantas disse ter tido participação na morte de Bruno Pereira e Dom Phillips. (Foto: PCSP/Divulgação)

O homem foi levado à sede da Polícia Civil e ouvido pelo delegado. Após os procedimentos, ele foi conduzido para a Polícia Federal, que investiga o crime.

Gabriel informou que era foi ele quem pilotou a canoa de Amarildo da Costa Oliveira usada na execução das mortes. Após o crime, ele teria fugido para Santarém, no Pará, depois para Manaus e seguiu pelo Mato Grosso até chegar em São Paulo. Sem ter onde ficar, ele passou a viver nas ruas da cidade.

O homem ainda deu outros detalhes sobre o crime e disse que não sabia que o objetivo era assassinar Dom e Bruno. Segundo ele, foi Amarildo quem atirou primeiro contra as vítimas.

O suspeito não tem registro na polícia e informou que estava fugindo de uma organização criminosa que o teria jurado de morte.

Anúncio