Redes sociais ajudam economizar na ‘lista’ de materiais escolares

Grupos no WhatsApp e Facebook ligam pais de alunos que estão em busca de material escolar e ajudam economizar com a troca ou venda de livros e outros materiais usados

Manaus – Com o aumento de 8% nos preços dos materiais escolares, em 2019, verificado pela Associação Brasileira de Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares (Abfiae), pais e mães criaram grupos de troca e venda de livros escolares para economizarem.

De acordo com a Abfiae, o material escolar está 8% mais caro, neste ano. (Foto: Reinaldo Okita/Arquivo)

“Se eu quiser manter meu filho em uma escola particular, já tenho que reservar o dinheiro do material escolar com três meses de antecedência, porque não sai por menos de R$ 1.500 para cada filho”, disse a publicitária Janaína Vasconcelos de Barros Ferreira, 40, mãe de uma criança de 4 anos e de um adolescente de 17.

Janaína é participante de dois grupos de troca e venda de livros escolares nas redes sociais, e teve a ideia de começar a revendê-los por incentivo da administração e de pais de estudantes do Colégio La Salle, no bairro Dom Pedro, zona centro-oeste de Manaus.

Segundo ela, a administração da escola reservou uma sala para que os pais pudessem trocar e vender livros escolares de seus filhos. “O preço deles fica a nosso critério. Também podemos decidir se queremos trocá-los ou mesmo dá-los”, disse.

A partir dessa ideia, os pais dos estudantes, que já haviam criado um grupo no aplicativo de mensagens WhatsApp, decidiram usá-lo para a venda e troca de livros escolares, no qual conseguem economizar, ou mesmo lucrar, na compra e venda dos materiais. “Já consegui vender livros de R$ 180 e R$ 220, comprados em livraria, por R$ 50 a R$ 70”, relatou.

Foi por meio de indicação de membros do grupo do La Salle que Janaína conheceu o grupo de Facebook ‘Venda e Troca de Livros – Escolas de Manaus Juntas e Misturadas’, que já conta com 3.429 membros e é voltado para venda, troca ou doação de livros dos pais de crianças matriculadas em escolas de Ensino Fundamental 1, 2 e Ensino Médio de Manaus. Criado em janeiro de 2018, o grupo permite que os participantes anunciem os livros que querem vender ou trocar por meio das postagens no Facebook, sendo que o diálogo da venda é feito entre as duas partes interessadas, através do WhatsApp.

Em pouco mais de um mês no grupo do Facebook, a publicitária afirmou já ter vendido todos os livros que pretendia. Ela ressalta que as redes sociais tiveram um papel importante ao aproximar os pais e que o hábito de troca e venda de livros escolares também é benéfico ao meio ambiente, por permitir a circulação de livros, que, de outra forma, provavelmente ficariam guardados nas casas dos donos.

“Ao invés de ficarem acumulando poeira, é melhor que esses livros possam servir a uma utilidade. Podermos prolongar a vida útil deles. Hoje, é um grande diferencial, que ajuda o planeta, ecologicamente, e a outra mães, através de uma simples venda de livros por WhatsApp”, contou.