Sauim-de-coleira é ameaçado por novas invasões e prefeito aciona MPE e MPF

Um pedido de investigação, junto aos ministérios públicos Federal (MPF-AM) e do Estado (MPE-AM), sobre crimes ambientais foi feito pelo prefeito Arthur Virgílio Neto

Manaus – Uma retroescavadeira destruiu na manhã desta quinta-feira (22) alguns barracos que estavam sendo construídos em um terreno no bairro Aleixo, zona centro-sul de Manaus. De acordo com os moradores, o maquinário estava operando após um homem, apontado como proprietário do terreno, determinar a construção de um muro no local para impedir o acesso dos invasores. Um um pedido de investigação, junto aos ministérios públicos Federal (MPF-AM) e do Estado (MPE-AM), sobre crimes ambientais na área foi feito pelo prefeito Arthur Virgílio Neto.

Até macacos da espécie saium-de-coleira e que habitam o local, estavam assustados com o barulho da retroescavadeira. Além disto, ainda nesta quinta, a Prefeitura de Manaus impediu um novo foco de ocupação em outra área verde na zona norte.

Na invasão da zona norte de Manaus, agentes da Prefeitura destruíram barracos de invasores (Foto: Divulgação / Semmas)

No bairro Aleixo, os moradores denunciaram que o homem apontado como proprietário do terreno estava cometendo um crime. “O homem mandou ligar as máquinas para derrubar nossas casas, mas não mostrou nenhum documento de que a área verde é dele. Estamos aqui, porque não temos para onde ir”, disse o líder da ocupação que preferiu não ter o nome divulgado.

“Árvores foram derrubadas, houve agressão à fauna e à flora e mortes de animais. É uma invasão com suspeita muito forte de ter influência e financiamento do tráfico de drogas. As duas coisas devem ser investigadas, firmemente, pelos ministérios públicos Estadual e Federal”, afirmou o prefeito, que estava acompanhado da primeira-dama e presidente da Comissão Especial de Paisagismo e Urbanismo do Município, Elisabeth Valeiko Ribeiro, além do secretário municipal de Meio Ambiente, Antônio Nelson, e do procurador-geral do município, Rafael Albuquerque.

O procurador ressaltou que imagens da área ocupada, irregularmente, evidenciam uma grande quantidade de animais mortos no local.

Zona norte

Já na invasão da zona norte, uma fiscalização ambiental da Prefeitura de Manaus impediu o surgimento de um novo foco de ocupação irregular em um trecho de área verde do Núcleo 21 do conjunto Cidade Nova. Uma armação de madeira que havia no local foi retirada, para impedir que novos barracos sejam erguidos.

De acordo com denúncia recebida pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), a construção estava em andamento desde o último final de semana. Tão logo tomaram conhecimento, os fiscais foram ao local. Com esse, sobe para 13 o número de novos focos de invasão em área protegida combatidos este ano.

O diretor de Fiscalização da Semmas, Eneas Gonçalves, destacou que esse trabalho preventivo de impedir a proliferação de ocupações irregulares, no início, é fundamental para a preservação das áreas verdes. “O local passa a ser monitorado, inclusive com o apoio dos moradores, o que dificulta a intenção dos invasores de adentrar a área”, explicou Gonçalves. Segundo ele, não havia ninguém no local, onde a secretaria deverá instalar mais placas de área verde para inibir novas ocupações.

Anúncio