Trabalhadores da Reman paralisam as atividades e reivindicam melhores salários

Trabalhadores temem que empresas tirem benefícios como a cesta básica, plano de saúde e rota, segundo os manifestantes

Manaus – Os Trabalhadores da Refinaria de Manaus Isaac Sabá (Reman) paralisaram, nesta segunda-feira (15), as atividades. Os funcionários pedem melhores condições de trabalho e buscam impedir que as novas regras da Reforma Trabalhista sejam aplicadas à categoria.

Um dos organizadores da manifestação, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Construção Civil do Amazonas (Sintracomec), Cícero Custódio, destacou que os protestos são contra os cortes de benefícios que a empresa pretende fazer, além da diminuição de salários.

Trabalhadores paralisaram atividades durante a manhã desta segunda-feira (Foto: Frank Cunha/Divulgação)

“Nós só vamos voltar a trabalhar quando for feito algum acordo entre a Reman e a Petrobrás. A nossa convenção não permite que simplesmente tirem nossos benefícios e, ainda por cima, diminuam nossos salários. Isso é uma situação insustentável”, afirmou.

Ainda, segundo Cícero, a convenção dos trabalhadores tem duração de dois anos e garante os benefícios já acordados antes da reforma trabalhista.

“Querem corta os planos de saúde, a cesta básica e a rota. Não têm condições de parar a rota, pois aqui é longe e de difícil acesso para muitos trabalhadores”, destacou.

De acordo com Cícero, uma reunião com a direção das empresas acordou que novas conversas serão realizadas ao longo desta semana para que os assuntos reivindicados na manhã de hoje sejam colocados em pauta novamente.