Trabalhadores morrem soterrados em obra durante chuva na zona oeste de Manaus

Segundo moradores da área, o local está em construção há cerca de oito meses e já apresentava problemas na estrutura

Manaus – Antônio costa da Silva, 38, e Luís Afonso Ramos, 50, funcionários de uma construção, morreram soterrados após o desabamento de um muro na tarde desta segunda-feira(26), em uma obra na Rua Álvaro de Azevedo, Conjunto Aruanã, bairro Compensa, zona oeste de Manaus.

Trabalhadores morrem após soterramento por muro durante chuva em Manaus. (Foto: Marcos Lima / GDC)

O muro da construção desabou em cima de dois pedreiros que estavam embaixo da estrutura de concreto e foram soterrados. Os dois morreram no local. O Corpo de Bombeiros foi acionado para remover os corpos das vítimas dos escombros.

Segundo moradores da área, o local está em construção há cerca de oito meses. Eles informara que obra já apresentava problemas na estrutura e com a intensa chuva que caiu na cidade nesta segunda-feira(26), a área desmoronou.

blank

(Foto: Marcos Lima / GDC)

Quatro viaturas do Corpo de Bombeiros foram utilizadas no resgate.

O delegado plantonista da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Daniel Vezani, informou que as partes envolvidas na tragédia serão ouvidas e posteriormente instaurado um inquérito policial.

O Instituto Médico Legal (IML) e a perícia técnica foram acionados para atender a ocorrência.

Nota de esclarecimento 

A Prefeitura de Manaus, por meio do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), esclarece que a obra onde ocorreu um acidente com duas vítimas fatais, nesta segunda-feira (26), na rua Álvares de Azevedo, conjunto Aruanã, bairro Compensa, zona Oeste, obteve alvará de construção n.º 14.354, no ano de 2019.  No dia 10 de dezembro de 2020 foi notificada e autuada (embargada) pelo Implurb, para providenciar a renovação de alvará. No dia 11 de dezembro, o proprietário foi informado novamente da necessidade de renovação da licença da obra no prazo de 20 dias.

O Implurb ressalta que o proprietário foi notificado a manter a construção paralisada (embargada) até a regularização e emissão da respectiva renovação de alvará de construção.

No dia 3 de fevereiro deste ano, a empresa responsável recebeu a renovação de alvará de obra, nº 102/2021, com validade de seis meses, devendo manter a placa de obra exposta e atualizada.

**Matéria atualizada às 19h37**

Anúncio