UEA inicia apuração sobre professor suspeito de tráfico de órgãos

O reitor da UEA pontuou que a medida é para obter respostas do ponto de vista institucional

Manaus – A denúncia de irregularidade administrativa do professor concursado da disciplina de Anatomia da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESA/UEA), suspeito de vender partes humanas para um designer de Singapura, começou a ser apurada nesta quinta-feira (24). A apuração, no âmbito da instituição, é realizada pela Comissão de Sindicância da UEA.

(Foto: Daniel Brito / UEA)

O reitor da UEA, Cleinaldo de Almeida Costa, pontuou que a medida é para obter respostas do ponto de vista institucional. “A Comissão é constituída por dois advogados e dois patologistas. São profissionais qualificados para avaliar o caso”, reiterou.

A presidente da Comissão de Sindicância e professora da UEA, Patricia Fortes Attademo Ferreira, informou que todo o processo correrá sob sigilo por parte da instituição.

“Hoje vamos disponibilizar a ata de abertura da sindicância com as providências da Comissão para iniciar as oitivas e colher os depoimentos”, explicou.

Anúncio