UEA nega vazamento de provas e diz que não houve fraude no vestibular em Manaus

O caso começou a levantar suspeitas após fotos de provas em branco terem sido divulgadas e ‘viralizadas’ nas redes sociais neste domingo

Manaus, AM – As investigações acerca do suposto vazamento de provas da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) realizadas no domingo (30), não apontaram nenhuma fraude no certame, conforme informado em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (31). O balanço das investigações da universidade junto às Delegacia Especializada em Combate às Corrupção (Deccor), foi divulgado na sede da Reitoria da UEA, localizada na avenida Djalma Batista.

O caso começou a levantar suspeitas após fotos de provas em branco terem sido divulgadas e ‘viralizadas’ nas redes sociais neste domingo. Segundo o reitor da UEA, Cleinaldo de Almeida Costa, houve uma pesquisa minuciosa para chegar à primeira foto publicada inicialmente. Segundo o reitor, foi confirmado que a publicação foi realizada às 19h, duas horas após o encerramento do primeiro dia de provas.

“Nós tivemos todo o cuidado na pesquisa desde ontem a noite. A primeira postagem aconteceu ontem às 19h pelo aplicativo no whatsapp. Não houve nenhuma postagem anterior às 19h do certame, portanto não vicia a execução do certame”, afirmou.

Ainda conforme o reitor da UEA, as investigações identificaram a sala em que a foto foi registrada e responsabilizar as pessoas que eram responsáveis por distribuir e monitorar o pacote de provas que foi fotografado.

“Tivemos a oportunidade de avaliar o cenário, conseguimos identificar a sala, a escola, as provas de ausentes que foram fotografadas. Também identificamos potencial responsabilização de pessoas que tinham a obrigação da salvaguarda de coleta e entrega desses pacotes de provas”, disse.

O titular da Delegacia Especializada em Combate à Corrupção, Guilherme Torres, reiteirou que não houve qualquer materialidade que comprovasse fraude nas provas. O delegado também disse que serão chamadas a depor, pessoas que estão afirmando nas redes sociais que houve vazamento de provas.

“A polícia trabalha com os dados e elementos que foram apresentados. Até o presente momento não encontramos nada que pudesse prejudicar o certame. As pessoas que estão publicando e informando que houve vazamento de fotos serão ouvidas, para dizer de onde foi tirada essa prova, quem foi que encaminhou para que possamos chegar até o suspeito”, pontuou o delegado.

O delegado Guilherme Torres, também afirmou que o inquérito policial sobre o caso já foi instaurado e que as investigações vão continuar.

Anúncio