Um celular é roubado a cada 20 minutos, em Manaus

De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), 29.306 Boletins de Ocorrência (BOs) de roubos e furtos foram registrados no ano passado, na capital

Manaus – A cada 20 minutos uma pessoa registra um roubo ou furto de celular, em Manaus. Ao todo, foram cerca de 4 mil roubos a mais, em 2018, em relação ao ano anterior. De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-AM), 29.306 Boletins de Ocorrência (BOs) foram registrados no ano passado, somente em Manaus. A maioria, cerca de 70%, das ocorrências registradas tem uso de ameaça e violência. Os furtos representam 8,9 mil casos.

Em 2018, foram registrados 4 mil roubos e furtos de celulares a mais do que em 2017. (Foto: Eraldo Lopes/Arquivo)

Luiza Queiroz, 19, já iniciou o ano sofrendo um assalto e sendo agredida pela dupla de bandidos. Com apenas um mês de uso e pagando as parcelas do telefone, a estudante foi surpreendida enquanto lanchava com amigos no conjunto Beija-Flor, no bairro de Flores, zona centro-sul.

“Dois homens se acomodaram no lanche, um levantou e foi até a moto atrás em mim. Quando ele voltou, ele tacou o capacete na minha cabeça. O outro que estava sentado foi na minha direção já falando para passar o celular”, disse.

De acordo com a estudante, por causa do rastreador, ela conseguiu localizar o último paradeiro do aparelho. Ela conta que logo após foi à delegacia e, em conjunto com as autoridades policiais foi até o local onde constava a última conexão.

“O local era na Redenção, em uma casa abandona, não tinha nada. Eu tenho contatos na polícia e não consegui reaver o aparelho, imagine a dona Maria que mora na zona leste e não conhece ninguém? Nunca vai conseguir ter o telefone de novo. A polícia não tem o controle dessa situação”, criticou.

Outra crítica à inércia da polícia foi da universitária Jordana Santos, 18. Em menos de seis meses ela teve o celular roubado duas vezes. No caso de Jordana, ela preferiu nem mesmo fazer o registro do Boletim de Ocorrência (BO).

“Nem adianta (BO). Recuperar o celular é uma coisa que não vai acontecer, porque eles nem procuram nada. Tenho o sentimento que todo mundo tem, de não tem liberdade para usar o que você compra. A vontade que a gente tem é de fazer justiça com as próprias mãos”, disse ela.

As duas vítimas passaram a tomar medidas para evitar os furtos e roubos. Segundo Jordana, colocar o celular no modo silencioso e evitar manusear no ônibus está entre as preocupações.

Jordana também alerta para a compra de celulares de terceiros. Para ela, adquirir os aparelhos sem nota fiscal pode contribuir para o aumento de roubos de celulares. “Eu já fiz isso, comprei pela OLX. Hoje não faço mais, mas eu sei que muita gente faz e é um site público, que a gente não sabe da onde vem o celular, se é roubado”, disse.

A reportagem tentou contato, pelo telefone, com o secretário da SSP, Louismar Bonates, mas até a publicação não conseguiu obter sucesso.