Zezinho Corrêa será velado no Balneário do Sesc em teatro que leva seu nome

O sepultamento acontece no Cemitério São João Batista, às 17h deste sábado(06)

Manaus – O cantor Zezinho Correa, que faleceu na manhã deste sábado (6), após a luta contra a Covid-19, será velado no Balneário do Sesc, no conjunto Campos Elísios, bairro Planalto, zona centro-oeste de Manaus. Após o óbito, confirmado pela assessoria do artista, familiares do cantor se pronunciaram.

Familiares e amigos de Zezinho Correa deixam o hospital e falam sobre o velório e o sepultamento do cantor. (Foto: Reprodução)

O comunicado da morte do cantor para a imprensa na área externa do hospital onde Zezinho estava internado ficou a cargo de um sobrinho do artista. “Infelizmente, venho informar amigos, familiares e fãs o falecimento do meu tio. Agradeço o apoio da nossa família, de pessoas que nos ajudaram nesse momento tão difícil. Sabemos a grandeza de meu tio como artista, mas poucos sabiam da grandeza dele como pessoa, que sempre ajudou o próximo”, disse o jovem.

Ele explicou que os últimos dias tinham sido complicados para a família, por conta das especulações do estado de saúde de seu tio. “Saiu muita coisa na mídia, e nos da família nos resguardávamos o máximo possível”, revelou.

O sobrinho do artista também comentou sobre o significado da partida de Zezinho. “Nós achávamos que o receberíamos em casa, e vocês receberiam o artista bem, futuramente. Infelizmente esse dia não aconteceu. Os palcos vão sentir falta, mas a voz dele fica eternamente, pois ele levou o Amazonas para todo o mundo”, refletiu o familiar.

Ele  ainda fez um apelo para a população amazonense. “Fiquem em casa, não brinquem com esse vírus, ele está levando muita gente”, encerrou.

Uma sobrinha do artista também se pronunciou na área externa do hospital. Segundo ela, não falou assistência para o cantor. “Quando veio a necessidade da internação, ele veio transferido, mas sempre tivemos muita esperança e positividade, pois ele foi extremamente bem atendido aqui”, comentou.

A sobrinha também explicou que os últimos dias traziam esperanças, ainda que fossem dias difíceis. “Ele vinha melhorando aos poucos, mas piorava muito rápido também. Para nós, ainda está tudo muito difícil”, explicou.

Ela revelou que o cantor não se entregava para a doença, fazendo de tudo para ficar curado. “Ele lutou muito, fez fisioterapia, tomou as medicações, mas a doença é muito forte e foi tudo muito rápido”, argumentou a parente.

Ela encerrou fazendo agradecimentos por todo o apoio recebido. “Agradeço ao apoio da Prefeitura de Manaus, que nos disponibilizou toda a logística possível. O velório dele será no Balneário do SESC, onde ele fez sua vida, no teatro que leva o seu nome”, encerrou.

O sepultamento do cantor será no Cemitério São João Batista, às 17h deste sábado(06).

Anúncio