Amazonas perdeu 6 km² de floresta, no mês de janeiro

A Amazônia Legal perdeu 108 quilômetros de florestas, aumento de 54% em comparação ao desmatamento no mesmo período do ano anterior

Manaus – Em janeiro de 2019, a Amazônia Legal perdeu 108 quilômetros de floresta, um aumento de 54% em comparação ao mesmo período do ano anterior, quando o desmatamento somou 70 quilômetros quadrados, segundo os dados do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). Em janeiro deste ano, o Amazonas perdeu 6 quilômetros quadrados de floresta (6%).

O Pará foi o Estado que mais desmatou, sendo responsável por 37% do total, seguido de Mato Grosso, 32%, Roraima, 16% e Rondônia 8%. Acre ficou com 1%.

O monitoramento foi realizado pelo Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD), desenvolvido pelo Imazon e que opera desde 2007 monitorando mensalmente com imagens de satélite o desmate em toda a Amazônia brasileira.

O monitoramento foi realizado pelo Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD), desenvolvido pelo Imazon (Foto: Marcello Casal Jr/ABr)

Para o secretário executivo da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), Luis Henrique Piva, embora o boletim, no caso do Estado, não tenha detectado “nada muito alarmante”, o governo reconhece o problema da vulnerabilidade do Amazonas sobre o desmatamento.

“Nós vamos olhar os recortes desse dado. O boletim não detectou nenhum alerta de aumento do desmatamento nas nossas unidades de conservação estaduais. Porém, é importante dizer também que o nosso olhar é para além das unidades de conservação. O foco da secretaria em relação ao controle do desmatamento fica muito no sul do estado. Primeiro porque faz fronteira com esses estados e municípios onde o boletim detectou um aumento do desmatamento. Então, isso aí, já gera um estado de atenção.”, disse Piva.

O Amazonas não é um dos principais do ranking na questão do desmatamento, porém, nos últimos anos, tem sofrido pressões e um consequente aumento do desmatamento. Ainda de acordo com o secretário executivo da Sema, a secretaria busca atuar sobre a questão, até mesmo de forma integrada. “É importante dizer que a secretaria desenvolve as políticas públicas de prevenção e controle do desmatamento, e tudo aquilo que é correlacionado a esse tipo de ação”.