Processo contra Exército pela morte da onça Juma é arquivado por falta de provas

O pedido, conforme o jornal Folha de S. Paulo, está em análise pela Câmara de Coordenação e Revisão do MPF em Brasília

Com informações de agências/[email protected]

Em 20 de junho de 2016, a onça participou do revezamento da tocha olímpica, que teve o Centro de Instrução de Guerra na Selva, do Exército, como ponto de parada (Foto: Jair Araújo/arquivo)

Manaus – O Ministério Público Federal no Amazonas decidiu pedir o arquivamento da ação criminal que responsabilizava o Exército pela morte da onça Juma, há um ano, durante a passagem da tocha olímpica pela cidade. Segundo informações publicadas, neste sábado (10), no jornal Folha de S. Paulo, a decisão tem como base a falta de provas capazes de sustentar a denúncia criminal.

O pedido, conforme o jornal, está em análise pela Câmara de Coordenação e Revisão do MPF em Brasília. Além da ação criminal que tramita na 7ª Vara da Justiça Federal no Amazonas, ação civil pública também foi aberta em agosto de 2016.

Em 20 de junho de 2016, a onça participou do revezamento da tocha olímpica, que teve o Centro de Instrução de Guerra na Selva, do Exército, como ponto de parada.

Anúncio
Anúncio