Desmatamento na Amazônia tem novo recorde em outubro

Segundo o Inpe, 877 quilômetros quadrados foram atingidos no mês, a maior área já registrada pelo sistema Deter

Brasília – O Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) divulgou nesta sexta-feira (12) que 877 quilômetros quadrados da Amazônia foram desmatados em outubro, recorde para o mês na série histórica do sistema Deter – B, que teve início em 2016.

(Foto: Divulgação)

Segundo o porta-voz da campanha Amazônia do Greenpeace, Rômulo Batista, “enquanto o governo federal tenta vender o Brasil como potência verde na COP26, a verdade é que o desmatamento em outubro bateu mais um recorde e vem sendo impulsionado pela política antiambiental do presidente e do Ministério do Meio Ambiente com o apoio de parte do Congresso Nacional”.

Os alertas de desmatamento em outubro se concentraram nos estados do Pará, com 501 km² (57% do total), Amazonas, 116 km² (13% do total), e Mato Grosso, 105 km² (12% do total).

Estimativas do Observatório do Clima mostram que a maior parte (46%) dos gases de efeito estufa emitidos pelo Brasil é proveniente do desmatamento. Os dados de 2020 revelam que o Brasil continua, desde 2010, a ampliar suas emissões. No ano passado, em plena pandemia, o aumento das emissões de gases de efeito estufa no Brasil foi de 9,5%; no restante do mundo, houve redução de cerca de 7%.

Anúncio