Documentário que registra aventura científica na Amazônia será exibido no Teatro Amazonas

Sessão especial de ‘Novas Espécies – A Expedição do Século’ acontecerá dia 11 de setembro, com entrada gratuita

Manaus – Para comemorar 65 anos de existência, o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) realizará uma sessão especial para o lançamento do filme ‘Novas espécies – a expedição do século’, no dia 11 de setembro, às 20h, no Teatro Amazonas.

(Foto: Divulgação)

O longa-metragem é um emocionante registro da expedição multidisciplinar de cientistas do Inpa ao Parque Nacional da Serra da Mocidade, em Roraima, um local tão isolado que possui espécies únicas de animais e plantas. Estarão presentes no lançamento o diretor do documentário, Maurício Dias, e o cientista- chefe da aventura, Dr. Mario Cohn-Haft.

Dez anos de espera

Nunca houve no Brasil outra expedição com esse grau de magnitude e dificuldade. Um grupo multidisciplinar de 50 pesquisadores-especialistas em mamíferos, aves, répteis e anfíbios, peixes, insetos, fungos, plantas e geologia- e 20 profissionais de apoio – permaneceu 25 dias numa região remota da Floresta Amazônica, chamada Serra da Mocidade.

Essa aventura inédita foi chefiada pelo Dr. Mario Cohn-Haft, renomado ornitólogo especializado em aves amazônicas, pesquisador titular e curador das coleções ornitológicas do Inpa, que vive em Manaus há mais de 30 anos, e que há 10 anos alimentava o sonho de chegar até o local.

“A Serra da Mocidade foi o lugar que identifiquei com as maiores chances de hospedar espécies novas para a ciência. Foi o maior alvo da minha pesquisa e a mais esperada expedição da minha carreira”, afirma Cohn-Haft.

A expectativa por essa grande pesquisa inicia o documentário. Cohn-Haft conta a emoção da descoberta do mapa da Serra da Mocidade, uma região no meio da floresta que, por causa do isolamento, reúne condições para o desenvolvimento de animais e plantas ainda não catalogados.  Mesmo vivendo na Amazônia há três décadas, ele nunca havia estado no local.

Existe a possibilidade de nenhum ser humano ter visitado a Serra da Mocidade antes da equipe de “Novas Espécies – A Expedição do Século”. Com o pico a quase dois mil metros de altitude e uma extensão de quase 80 km de serras completamente cercada por terras baixas, a região não possui terra plana suficiente para pousar um avião, não existem estradas e os rios descem cachoeiras impossíveis de navegar.

O diretor Maurício Dias avalia que o documentário é uma oportunidade para o grande público acompanhar os desafios de uma aventura científica verdadeira. “Os resultados conquistados pela ciência tendem a se restringir ao mundo acadêmico”, afirma. “Acredito que nosso filme colabora para revelar o empenho desses especialistas que não medem esforços em busca de conhecimento”, completa.

Anúncio