‘Plantando o futuro’, da Moto Honda, contribui para preservação da floresta

A iniciativa “Plantando o Futuro” tem como premissa inicial o plantio de mil mudas como açaí, castanheira e ipê-roxo, no Estado do Amazonas

Manaus – A Moto Honda da Amazônia lançou, nesta sexta-feira (4), a ação “Plantando o Futuro”, com o objetivo de contribuir com a preservação da floresta para atuais e futuras gerações.

A iniciativa “Plantando o Futuro” tem como premissa inicial o plantio de mil mudas como açaí, castanheira e ipê-roxo, no Estado do Amazonas. A ação busca reforçar a educação e conscientização ambientais e incentivar o plantio em outros lugares, como em casas. A expectativa é expandir o projeto para a sociedade manauara.

‘Plantando o Futuro’ tem como objetivo contribuir com a preservação da floresta (Foto: Divulgação / Assessoria)

Para o vice-presidente da Moto Honda, Júlio Koga, o projeto também atua na educação ambiental. “Este é um dos motivos pelos quais estamos envolvendo nossos colaboradores. Estas mil mudas que serão distribuídas serão entregues também aos nossos colaboradores”, frisou.

Segundo o vice-presidente, a iniciativa ambiental ainda ajuda na produção da empresa. “A sustentabilidade é fundamental para a sobrevivência da empresa e está inserida nas estratégias da empresa. Hoje, é consenso que devemos promover o desenvolvimento econômico, não apenas à proteção ambiental, mas a um conceito mais amplo de sustentabilidade”, avaliou.

blank

Para o vice-presidente da Moto Honda, Júlio Koga, o projeto também atua na educação ambiental (Foto: Divulgação / Assessoria)

Questionado sobre como a pandemia afetou a produção da Honda, Koga afirmou que a situação está sendo superada. “Estamos conseguindo manter o plano graças ao fato da pandemia estar relativamente controlada. Certamente, estamos com todos os protocolos e conseguindo manter a produção. O mercado está com alta demanda e esperamos que continue nesse ritmo. Cada dia estamos nos reinventando para produzir com a mesma eficiência”, declarou.

Meio ambiente

A Honda fundamenta a gestão estratégica da sustentabilidade em quatro compromissos prioritários, que permeiam seus processos de decisão e operação: meio ambiente, qualidade, segurança e pessoas. A empresa incentiva seus colaboradores para a preservação do meio ambiente.

Dessa forma, as ações desenvolvidas contribuem para um futuro ambientalmente responsável, em uma relação de equilíbrio com o meio ambiente e uso consciente dos recursos naturais. Esses são aspectos essenciais para atingir, com excelência, o desenvolvimento econômico e garantir a sustentabilidade das atividades da empresa.

blank

Ação tem como premissa inicial o plantio de mil mudas como açaí, castanheira e ipê-roxo, no Amazonas (Foto: Divulgação / Assessoria)

– Elemento Ar

Para assegurar a qualidade do produto e atender os rigorosos programas de controle de emissões, a Honda inaugurou, em 2002, o primeiro Laboratório de Emissões de Motocicletas da América Latina, na fábrica de Manaus, seguindo o conceito dos laboratórios já existentes no Japão.

Nas operações logísticas, há mais de 20 anos, deixou de utilizar madeira nas embalagens de motocicletas e implantou racks metálicos retornáveis. Adotou o modal cabotagem para o abastecimento de peças nos processos, bem como na distribuição de motocicletas, contribuindo para a redução de emissões de CO².

– Elemento Terra

Na cidade de Rio Preto da Eva (a 57 quilômetros a nordeste de Manaus), a Moto Honda mantém uma área de 1.002 hectares com projeto de reflorestamento de árvores ameaçadas em extinção e uma área de plantio de frutas e hortaliças. Os alimentos resultantes destes plantios são doados às entidades sociais. Hortaliças como alface e rúcula abastecem os restaurantes da empresa.

Na área urbana de Manaus, a Honda mantém a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), outro projeto que tem como objetivo preservar um fragmento de floresta.

blank

A empresa incentiva seus colaboradores para a preservação do meio ambiente (Foto: Divulgação / Assessoria)

– Elemento Água

A Honda preserva nascentes de água doce e espécies nativas da fauna e flora ameaçadas de extinção no RPPN.

Na fábrica de motocicletas, a água da chuva é reutilizada nos banheiros gerando uma economia média de 800 mil litros/mês, que, em volume, equivale em média o consumo diário de 230 pessoas. Desde 2001, a empresa possui uma Estação de Tratamento de Efluentes (ETE) com capacidade de tratamento de 75 milhões de litros ao mês, equivale, em média, o consumo de uma cidade com população de até 30 mil habitantes. Além disso, a água do processo de geração de ar comprimido é coletada em uma cisterna e reaproveitada na refrigeração de processos produtivos gerando uma economia de cerca de 700 mil litros ao ano.

Anúncio