Bumbás de olho nos CDs de 2019

Garantido iniciou a produção do disco ‘Nós, o Povo!’, nesta segunda-feira (21), enquanto o Caprichoso só iniciará os trabalhos no próximo mês, ambos em Manaus

Manaus – Ainda é janeiro, mas os bois de Parintins já estão de olho na produção dos CDs deste ano. O boi Garantido iniciou, nesta segunda-feira (21), as gravações do CD 2019 ‘Nós, o Povo!’, sob o comando dos produtores musicais Alder Oliveira, Adriano Aguiar, Enéas Dias e Valdenor Filho, no ABM Studio, em Manaus.

O CD é composto por 23 toadas, divididas entre: de galera, genéricas e estratégicas. Alder Oliveira, um dos produtores do álbum musical, explicou que, nesta primeira semana, serão gravados os instrumentos de percussão.

“Começamos com as caixinhas e surdos. São 23 toadas com um trabalho minucioso, e trabalhamos aquele ritmo cadenciado direto da Baixa do São José, então a gente tem essa essência da Batucada, por isso, temos os melhores batuqueiros neste CD”, destacou Alder.

“Assim que foram anunciadas as toadas, iniciamos a pré-produção, ajustando o que precisava e, hoje (ontem), iniciamos o processo de gravação deste grande CD”, explicou Enéas.

CD do Caprichoso será duplo, enquanto o do Garantido terá 23 toadas (Foto: Sandro Pereira)

Caprichoso

Pelo lado azul da Ilha Tupinambarana, a força-tarefa se intensificará apenas no próximo mês, também no ABM Studio. Na tarde de ontem, em reunião por meio de áudio-conferência, o presidente Babá Tupinambá, o levantador de toadas David Assayag e os produtores Neil Armstrong e Labamba decidiram gravar o CD oficial ‘Um Canto de Esperança para Mátria Brasilis’, em Manaus, mas a entrada para a realização do produto fonográfico será entre os dias 15 e 20 de fevereiro. “O CD ficará pronto em 30 dias”, assegurou o dirigente azulado.

A produção reunirá 12 toadas do CD de galera e 16 do de arena, formando um álbum duplo. O time de músicos do Caprichoso envolvido na produção do disco é formado por Neil Armstrong, David Assayag, Sidney Rezende e Paulinho Dú Sagrado.

“Na parte de percussão, tem o Márcio do Boi como diretor, juntamente com Jonédson Ramos (Baleinha), Batista, Léo Zagury, Chumbinho e uma menina que toca repique na Marujada de Guerra. Os músicos são basicamente os mesmos do ano de 2018, como o Chiuna na bateria, Sérvio Túlio no contrabaixo e os metais de Recife, Pernambuco”, afirmou o produtor musical Neil.