Sacrificados em Portugal 2.800 cavalos que não foram vendidos

Desde o início do ano, 2.803 cavalos lusitanos, ou seja, quatro vezes mais que no ano passado, foram sacrificados

Cerca de 2.800 cavalos de raça lusitana foram sacrificados em 2012 em Portugal onde, devido à crise, os criadores não têm como mantê-los e pela mesma razão há poucos compradores, revelou uma associação portuguesa de criadores de cavalos.

“Atualmente, devido à crise e porque não conseguem vendê-los, há criadores que preferem realizar uma seleção e sacrificar alguns destes animais”, explicou à rádio TSF Luis Vinhas, presidente da associação portuguesa de criadores de cavalos puro-sangue lusitanos.

“As pessoas que os enviam ao matadouro não o fazem com bom-humor, mas mantê-los vivos sem dar comida é ainda pior”, acrescentou.

Desde o início do ano, 2.803 cavalos lusitanos, ou seja, quatro vezes mais que no ano passado, foram sacrificados, segundo estatísticas oficiais que não informam quantos equinos pertenciam a esta raça puro-sangue.

Caro em sua manutenção, um puro-sangue lusitano tem no mercado um preço que varia de 4.000 a15.000 euros em função de sua idade e nível de adestramento.

Segundo José Campos Oliveira, presidente da associação de produtores de leite e de carnes, “a maioria” dos animais sacrificados é composta de puro-sangue lusitanos.

 

Anúncio