A queda! Os últimos dias de Wilson Lima

As investigações da PF e do MPF que conduzem a Operação Sangria apontam conversas mais que suspeitas no núcleo da saúde pública do Amazonas

Manaus – As investigações da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público Federal (MPF) que conduzem a Operação Sangria apontam conversas mais que suspeitas no núcleo da saúde pública do Amazonas. A aquisição dos ventiladores pulmonares foi orquestrada com a ciência da cúpula do governo e os servidores deram ‘um jeitinho’ para conseguir ‘legalmente’ a compra superfatura de 28 respiradores por R$ 2,9 milhões. Os bastidores políticos apontam um possível afastamento do governador Wilson Lima por causa do desdobramento das investigações.

Ministério Público Federal

As investigações da Operação Sangria apontam que existe uma organização criminosa responsável por fraude à licitação, peculato e lavagem de dinheiro, com indícios de envolvimento do governador do Amazonas Wilson Lima. Na 2ª fase da Operação Sangria foi apontado o envolvimento e conhecimento do esquema criminoso na aquisição dos ventiladores pulmonares pela cúpula do governo do Amazonas. Por conta de um possível desdobramentos nas investigações nos próximos dias, os bastidores políticos apontam o possível afastamento do governador Wilson Lima.

Governo do Amazonas

O MPF destacou que “a análise dos novos elementos de provas, permitiu identificar mais dois envolvidos no esquema ilícito e curiosamente, trata-se de mais uma pessoa do círculo próximo do governador Wilson Lima, o que corrobora a hipótese investigativa de que o mesmo é o principal articulador dos crimes investigados”, cita.

Ventiladores Pulmonares

Um fato que chamou atenção das autoridades foi uma conversa entre Rodrigo Tobias de Souza Lima, ex-secretário de saúde, João Paulo Marques dos Santos, ex-secretário-adjunto de Saúde e Perseverando da Trindade Garcia Filho, ex-secretário executivo adjunto de Saúde, em que discutiam a forma como seriam adquiridos os ventiladores pulmonares pela empresa Sonoar. “No decorrer dos diálogos, Perseverando sugere a criação de um processo fantasma”, diz o documento do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Empresa Sonoar

A Polícia Federal aponta a atuação de Luiz Carlos Avelino Junior, marido da Daniella Assayag, ex-secretária de comunicação do governador Wilson Lima. Avelino tem vínculo com a Andrade e Mansur Comércio de Materiais Hospitalares Ltda., conhecida como Sonoar, desde dezembro de 2019, responsável pela aquisição dos ventiladores pulmonares para posteriormente ser revendido pela Vineria Adega ao governo.

Casal

Fica claro nas investigações que o casal Luiz Avelino e Daniela Assayag tem uma relação próxima com o governador Wilson Lima. “Em virtude do cargo ocupado por Daniela, de vinculação direta com o governador, tiveram participação na efetiva aquisição superfaturada de respiradores pelo Governo do Amazonas, inclusive a partir de informações privilegiadas obtidas em reunião”, consta no documento. Avelino ainda pressionou a antiga dona da Sonoar para não revelar a negociação de compra da empresa. A casa do casal foi alvo de busca e apreensão pela PF.

Anúncio