Atestado de Capacidade Técnica usado por Chalub para ganhar licitação de R$ 2,2 milhões no governo era ‘fake’

Empresário é suspeito de falsificar atestado técnico em 2015 para participar de Pregão Eletrônico que pagou em 2018, mais de R$ 2 milhões para a sua empresa

Manaus – Ao pesquisar o nome Sérgio Chalub na internet é possível visualizar diversas notícias e denúncias graves contra o empresário conhecido por faturar em cinco anos mais de R$ 15 milhões em contratos com o governo do Amazonas. Durante a pandemia em contrato sem licitação com o Hospital de Campanha Nilton Lins, foram mais R$ 10 milhões. Chalub é suspeito de falsificar atestado técnico em 2015 para participar de Pregão Eletrônico que pagou em 2018, mais de R$ 2 milhões para a sua empresa, Petro Serviços de Limpeza.

Possível falsificação

Em documento de Atestado de Aptidão Técnica apresentado pela Petro Serviços de Limpeza, Conservação em Equipamentos Ltda., para concorrer a pregões eletrônicos está com a assinatura do prefeito de Itacoatiara, Antônio Peixoto de Oliveira, em 1º de setembro de 2015. Porém, o prefeito esteve no cargo de 2008 à 2012, perdendo a reeleição e depois eleito novamente em 2016, estando nessa legislatura como prefeito de Itacoatiara. No Pregão Eletrônico nº 566 de 2018, a Petro faturou R$ 2,2 milhões. Sérgio Chalub entrou na sociedade da Petro em 01 de agosto de 2017, saindo em 2019, segundo extrato do CNPJ.

Pagamentos não estão no Portal da Transparência

Em inspeção ao Hospital de Campanha da Nilton Lins, a CPI da Saúde constatou em documentos que o contrato com a Líder Serviços de Apoio à Gestão de Saúde no valor de R$ 10 milhões, foi sem licitação e os pagamentos para a empresa não constam no Portal da Transparência do Amazonas. Deputados se manifestaram sobre essa descoberta e em sua rede social, o empresário Sérgio Chalub, declarou como ‘clara perseguição’ e ‘chantagem política’, já em seu site, Diário da Selva, publicou matérias criticando a atuação dos parlamentares membros da CPI da Saúde que investiga contratos suspeitos na saúde pública.

Ex-empresa de Chalub recebeu R$ 6 milhões

A transferência de titulares de CNPJ não é novidade em empresas que atuam em contratos com a saúde pública. Em 2019, a Líder Serviços foi transferida de Elisangela da Silva para a filha de Sérgio Chalub. Antes de trocar de titularidade, em nome de Elisangela, a Líder ganhou três pregões eletrônicos para serviços de imagem, no valor aproximado de R$ 6 milhões. Fontes confidenciais afirmam que Elisangela era empregada doméstica da família Chalub e que até hoje recebe um salário mínimo e também o valor do aluguel da sua casa.

Na mira da CPI da Saúde

O empresário Sérgio Chalub é aguardado pelos deputados estaduais para prestar depoimento na CPI da Saúde, nesta sexta-feira (14), na Assembleia Legislativa do Estado (ALE). Chalub deverá se explicar sobre os processos indenizatórios milionários firmados com o governo do Amazonas, principalmente durante a pandemia de Covid-19 no Hospital de Campanha da Nilton Lins.

*Apresentador do programa AMAZONAS DIÁRIO

Anúncio