Bolsonaro culpa Wilson Lima pela morte de pacientes com Covid-19 por falta de oxigênio

De acordo com o presidente, Manaus está um caos e a população está morrendo asfixiada por falta de oxigênio que deveria ter sido prevista e resolvida pelo governador do Amazonas

Manaus – A falta de gestão do governo de Wilson Lima é tão grande que foi percebida e criticada pelo próprio presidente da República, Jair Bolsonaro. De acordo com o presidente, Manaus está um caos e a população está morrendo asfixiada por falta de oxigênio que deveria ter sido prevista e resolvida pelo governador do Amazonas. Além disso, o presidente criticou a falta de tratamento precoce de pacientes infectados pelo novo coronavírus. Manaus já registra diariamente, o congestionamento de ambulâncias nas portas das unidades de saúde e longas filas para atendimento.

Intervenção Federal

Nesta terça-feira, 12,, o presidente Jair Bolsonaro disse que foi preciso o Governo Federal intervir em Manaus porque não se faz na cidade “tratamento precoce” contra Covid-19. “Mandamos ontem (segunda-feira) o nosso ministro da Saúde (general Eduardo Pazuello) para lá. Estava um caos. Não faziam tratamento precoce. Aumentou assustadoramente o número de mortes e mortes por asfixia porque não tinha oxigênio, disse.

Culpa de Lima

Bolsonaro criticou o governador do Amazonas, Wilson Lima pela falta de oxigênio na rede pública de saúde para tratar pacientes infectados pelo novo coronavírus. “O governo estadual e municipal deixou acabar o oxigênio. É (gente) morrendo asfixiado. Imagine você morrendo afogado. Fomos pra lá… ele interferiu. Tão falando já que ele interferiu. Então vão deixar o pessoal morrer?”, questionou.

2ª onda da Covid-19

A capital do Amazonas é onde mais a população vem sofrendo com a segunda onda da pandemia do novo coronavírus. Dia após dia, o Estado bate recordes de internações e mortes em decorrência do vírus. Wilson Lima anunciou no domingo, 10, que o Estado pode vir a sofrer com a falta de oxigênio porque as empresas que fornecem não possuem estoque suficiente para atender a demanda. Em abril, no primeiro pico da pandemia, um médico denunciou que a falta de ventiladores e oxigênio para os pacientes do SPA da Alvorada causou a morte de 10 pessoas em 24 horas. Após, nove meses do vírus circulando no Amazonas, o governo não poderia ter previsto os itens essenciais para o atendimentos e manutenção da vida dos pacientes nos hospitais e já realizado um estoque grande?

Caos nos hospitais

Vídeos divulgados nas redes sociais mostram o congestionamento de ambulâncias em frente as unidades de saúde da capital que entra em colapso. “Estamos aqui esperando há horas um boletim médico que até agora o médico não existe, porque não estamos vendo uma solução para as pessoas que estão aqui. Você vê que já lotou de ambulâncias e já chegou mais pessoas precisando de atendimento e não tem mais oxigênio para a população amazonense. Se não tomar uma atitude severa no estado, Manaus toda pode ir por água abaixo. Senhor governador, venha para as ruas ouvir o povo”, disse um amazonense em entrevista ao GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC).