Bolsonaro manda mais de R$ 8,4 milhões e governador do AM não cita nome do presidente

A distribuição da verba federal foi realizada pela Comissão Intergestores Bipartite do Estado do Amazonas (CIB/AM)

Manaus – Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM), recebeu recurso federal de mais de R$ 8,4 milhões destinados para o enfrentamento do novo coronavírus e distribuiu metade da verba, cerca de R$ 4,2 milhões para custeio de despesas de contrato com UTI aérea para pacientes infectados pelo vírus. A outra metade será distribuída entre os 61 municípios do Estado.

Recurso Federal
A distribuição da verba federal foi realizada pela Comissão Intergestores Bipartite do Estado do Amazonas (CIB/AM) e publicada no dia 26 de outubro no Diário Oficial do Estado (DOE). A Resolução nº 43/2020 dispõe sobre a distribuição do Bloco de Custeio das Ações e Serviços Públicos de Saúde do Grupo de Atenção de Média e Alta Complexidade, destinados às ações de saúde para o enfrentamento do coronavírus (Covid-19).

Pandemia
O recurso federal enviado ao Amazonas é de R$ 8,48 milhões. Segundo recomendação da CIB/AM, cerca de R$ 4,2 milhões serão destinados às despesas de custeio de contrato de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) aérea para pacientes com Covid-19.

Municípios
Ainda segundo a recomendação da CIB/AM, a outra parte do recurso, cerca de R$ 4,2 milhões, vão ser distribuídos, por critério populacional para os outros 61 municípios do interior do Amazonas. Os valores repassados aos municípios variam de R$ 4,2 mil até R$ 245 mil. Pelo cálculo, o valor destinado a cada habitante no município será de R$ 2,13. Os recursos deverão ser aplicados no enfrentamento ao novo coronavírus.

Denúncia
Em julho, uma indígena da etnia Tikuna de 44 anos morreu depois de seis dias aguardando transferência em UTI aérea de Tabatinga, no interior do Amazonas para Manaus. O transporte aéreo que iria realizar a remoção da paciente teve pane no momento em que a indígena, diagnosticada com o novo coronavírus, estava embarcando na aeronave.

Sem material
Sem conseguir ser transferida, a indígena Neuraci Ramos precisou retornar para o Hospital de Guarnição de Tabatinga, mas morreu dois dias depois. Segundo a família, a indígena estava na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Tabatinga desde janeiro, aguardando para realizar uma cirurgia para tratar cálculos na vesícula, que não foi realizada por falta de material cirúrgico na unidade de saúde. Ainda segundo os familiares, Neuraci teve seu quadro de saúde agravado por complicações respiratórias, ela foi entubada e removida para o Hospital de Guarnição de Tabatinga.

Dona Neuraci  
A indígena Neuraci Ramos que ficou internada por cerca de seis meses aguardando um procedimento cirúrgico e depois transferência por UTI Aérea, era dona de casa e mãe de sete filhos. Em sua certidão de óbito consta como causa da morte, pancreatite aguda, cálculos de via biliar e Covid-19.

Anúncio
Anúncio