Com cofres cheios, governo gasta quase R$ 3 mi em 24h para limpeza dos estádios

Dois contratos milionários para serviços gráficos foram denunciados por deputado de oposição

Manaus – Poucos dias após o governador Wilson Lima confirmar o jogo do Brasil para as eliminatórias da Copa do Mundo, o Governo do Amazonas empenhou quase R$ 3 milhões em serviços indenizatórios para limpeza e conservação dos estádios. Ou seja, bastou um anúncio para iniciar a corrida desenfreada em gastos para a realização da partida que será no mês de outubro. Na Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM), além da instalação da CPI da Amazonas Energia que dará dor de cabeça a Lima, e mais um pedido de empréstimo feito pelo governador, dois contratos milionários para serviços gráficos foram denunciados por deputado de oposição.

Jogo do Brasil

Iniciando o ‘geralzão’ nos estádios da cidade para receber a partida entre Brasil e Uruguai pelas eliminatórias da Copa do Mundo, o Governo do Amazonas empenhou em um único dia seis Notas de Execução de Despesas por meio da Fundação Amazonas de Alto Rendimento que somadas chegam a R$ 10 milhões. Em nota, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) após confirmar a partida, anunciou que deve assumir, juntamente ao Estado, a responsabilidade pela revitalização do gramado do local.

Indenizatório

Os documentos publicados no dia 1º de Setembro no Portal da Transparência são para serviços de limpeza, asseio e conservação predial, com fornecimento de mão-de-obra e todos os materiais e equipamentos necessários para a execução dos serviços nas unidades de equipamentos esportivos. Os contratos foram realizados pelo Governo do Estado por dispensa de licitação, sendo pago a empresa Contato Serviço de Conservação e Manutenção Eireli, de maneira indenizatória. Os serviços contratados serão na Vila Olímpica de Manaus, o Ginásio Poliesportivo Arena Amadeu Teixeira, Ginásio Renee Monteiro, Ginásio Elias Assayag em Parintins-AM, Estádio de Futebol Ismael Benigno, Estádio de Futebol Carlos Zamith, Estádio de Futebol Oswaldo Frota e o Estádio de Futebol Vivaldo lima (Arena da Amazônia).

Serviços gráficos

Outros dois contratos com custos milionários do Estado foram denunciados nesta semana pelo deputado Wilker Barreto em plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM). Segundo Barreto, o Governo do Amazonas pretende gastar mais de R$ 10 milhões com serviços gráficos, contratados pela Secretaria de Estado de Assistência Social (SEAS) e o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (IDAM). “R$ 10 milhões para gráfica ou implemento? O que é mais importante? Imagina todo esse dinheiro aportado num hospital ou em auxílio para o povo, na educação, no esporte… é essa tomada de decisão que eu não concordo com este desgoverno”, enfatizou. O deputado vai solicitar a suspensão do contrato ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM).

Mais dinheiro nos cofres

Com acréscimo na arrecadação mesmo com a pandemia de Covid-19, o governador Wilson Lima encaminhou à ALE mais um pedido de empréstimo, desta vez para melhorias no Prosamim, no valor de US$ 80 milhões de dólares que estava previsto para tramitar nesta quinta (2), mas deve ser analisado na próxima semana. Há pouco tempo, outro empréstimo de R$ 1 bilhão solicitado por Lima, foi aprovado pelo plenário do Senado Federal para aplicar em ações de recuperação fiscal e investimentos sociais.

Anúncio