Com vários escândalos de corrupção, Wilson Lima elege 13 prefeitos e 77 vereadores no AM

Governador é investigado pelo Ministério Público Federal (MPF), pela Polícia Federal (PF) e Procuradoria Geral da República (PGR)

Manaus – Apesar das várias denúncias que rodeiam o governo de Wilson Lima (PSC), como as investigações do Ministério Público Federal (MPF), da Polícia Federal (PF) e da Procuradoria Geral da República (PGR), além de possuir o maior índice da história de rejeição dos eleitores, amargando 62%, segundo o Instituto Diário de Pesquisa (IDP), Wilson ainda conseguiu eleger 13 prefeitos e 4 vice-prefeitos no Amazonas. Vale lembrar que no inquérito da operação Sangria, a procuradora-geral da República definiu o esquema do superfaturamento dos ventiladores pulmonares como “Uma verdadeira organização criminosa que se instalou na estrutura do governo do Estado do Amazonas”.

62% de rejeição

Segundo pesquisa do Instituto Diário de Pesquisa (IDP) a população da capital amazonense considera em mais de 62% como ruim ou péssimo, a gestão do governador do Amazonas, Wilson Miranda Lima (PSC). A análise dos dados mostra que a rejeição a atual gestão independe das classes sociais, já que entre os eleitores que declaram terem o ensino fundamental incompleto, 63,9% acham o governo Wilson Lima “péssimo” ou “ruim” e 72,5% dos que possuem o ensino superior completo também avaliam como “péssima” ou “ruim” a atual gestão. Quanto ao gênero, os homens avaliam mais negativamente o governo do Estado: 66,8% consideram a atual gestão “péssima” ou “ruim” e 65,5% das mulheres têm a mesma opinião.

Prefeitos

O Partido Social Cristão (PSC) do governador do Amazonas, Wilson Lima, foi o que mais cresceu no interior do Estado com 13 prefeitos e 4 vice-prefeitos eleitos nas Eleições Municipais 2020. Foram 35 candidatos a prefeito e 48 a vice-prefeito em todo o Estado. Apesar de alguns tropeços, o partido tem representação em 13 prefeituras das 61 do Amazonas, sete deles disputavam reeleição, e seis conseguiram sucesso nas urnas.

Vereadores

Wilson Lima e seu partido conseguiram eleger 77 vereadores em todo o Estado. No total, o PSC tem vereadores em 37 municípios, em Alvarães, Amarutá, Anamã, Apuí, Atalaia do Norte, Autazes, Barcelos, Barreirinha, Benjamin Costant, Boa Vista do Ramos, Boca do Acre, Caapiranga, Carauarim, Careiro, Careiro da Várzea, Eirunepé, Envira, Fonte Boa, Humaiatá, Iranduba, Itacoatiara, Itapiranga, Japurá, Lábrea, Manacapuru, Manaus, Manicoré, Maués, Novo Airão, Novo Ariupuaná, Parintins, Presidente Figueiredo, Santo Antonio do Içá, São Gabriel da Cachoeira, Silves, Tapauá e Urucará. Na capital, o PSC forma uma das maiores bancadas, são quatro vereadores eleitos.

Governo

O governo de Wilson Lima, do PSC, somatiza escândalos e diversos tropeços na gestão, como a crise instalada na saúde pública. Por causa da compra superfaturada de ventiladores pulmonares pelo Governo do Amazonas em uma loja de vinhos, durante a pandemia de Covid-19, o Ministério Público Federal e a Polícia Federal deflagraram até agora, duas fases da operação Sangria. No inquérito desta operação que chegou a solicitar a prisão do governador do Amazonas, a subprocuradora-geral da República, Lindôra Araújo, definiu o esquema de fraudes na área da saúde do Estado como “Uma verdadeira organização criminosa que se instalou na estrutura do governo do Estado do Amazonas, com o objetivo de desviar recursos públicos destinados a atender às necessidades da pandemia da Covid-19”.

*Apresentador do programa AMAZONAS DIÁRIO

Anúncio
Anúncio