Contratos mais que suspeitos de secretarias do governo de Wilson Lima chegam a quase R$ 8 milhões

Em menos de cinco meses, secretarias ligadas ao governo do Amazonas realizaram contratos para prestação de serviços que vão custar aos cofres públicos do Estado quase R$ 8 milhões

ARTIGO ALEX

Manaus – Em menos de cinco meses, secretarias ligadas ao governo do Amazonas realizaram contratos para prestação de serviços que vão custar aos cofres públicos do Estado quase R$ 8 milhões. O interessante é que muitos desses serviços são referente a mão de obra que a própria secretaria dispõe, ou seja, não seria necessário pagar mais de R$ 500 mil para fornecimento de mão de obra e apoio técnico.

Consultoria estratégica

A Fundação Fundo Previdenciário do Estado do Amazonas (AmazonPrev) contratou a Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico e Social (AADES) em 17 de março deste ano para implantar ações estratégicas, administrativas e técnicas ao sistema previdenciário do estado para atender a adesão do Ministério Público do Amazonas, Tribunal de Contas e Tribunal de Justiça. O valor total, foi de quase R$ 2,6 milhões.

Implantação de sistema

Justificando que o contrato entre a própria Fundação Fundo Previdenciário do Estado do Amazonas e a Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico e Social (AADES), não se aplica a licitação, em 23 de março a AADES recebeu uma parcela de R$ 644 mil pelos serviços de implantação do sistema que a própria fundação poderia realizar.

Agência Amazonense é disputada

Em 15 de outubro do ano passado, a Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (ADAF) contratou, sem aplicar licitação, a Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico e Social (AADES) para execução de projetos de apoio ao fortalecimento e a defesa agropecuária e florestal do estado, visando apoiar e fortalecer os serviços desenvolvidos pela ADAF. O contrato, com a duração de oito meses, foi fechado no valor total de R$ 4,6 milhões. Os próprios servidores que já atuam diferença com a ADAF poderiam ser redistribuídos para atender a demanda interna.

Estruturando a tecnologia

A Secretaria de Estado de Infraestrutura e Região Metropolitana de Manaus (Seinfra) contratou em outubro do ano passado a Fundação para o Desenvolvimento Tecnológico da Engenharia (FDTE) para fazer o serviço de consultoria com fornecimento de mão de obra especializada em apoio técnico e operacional aos projetos governamentais no valor de R$ 539 mil. O interessante é que a própria Seinfra poderia fazer o serviço, já que dispõe de estrutura para isso.

Dinheiro dos amazonenses

Em todos os contratos realizados entre as secretarias ligadas ao governo de Wilson Lima não foi aplicado licitação. É lamentável observar que o dinheiro da população amazonense é gasto em contratos, no mínimo, duvidosos. Enquanto se é gasto quase R$ 8 milhões em serviços que as próprias secretarias poderiam fazer, a população sofre com o descaso na saúde e segurança.

*Apresentador do programa Amazonas Diário