Decreto de Wilson Lima é um atestado de incompetência

Sete dos 11 hospitais particulares de Manaus emitiram notas oficiais informando que estão com 100% dos leitos destinados ao tratamento de pacientes com Covid-19 ocupados

Manaus – Sete dos 11 hospitais particulares de Manaus emitiram nas últimas 24 horas, notas oficiais informando que estão com 100% dos leitos destinados ao tratamento de pacientes com Covid-19 ocupados. Horas antes, o governador Wilson Lima voltava atrás e revogava o decreto que determinava o fechamento do comércio não essencial na capital. Wilson tinha razão? Não! A saúde está novamente entrando em colapso e essa crescente de números de infectados não estava sendo acompanhado e registrado pelo governo? Por que a temida segunda onda não foi alertada?

Acidente

Wilson Lima é, por acidente, mas pela vontade do povo, governador do Amazonas e sua posição lhe permitiu saber antes de todos nós que Manaus estava novamente à beira do colapso. Não agiu em tempo e quando o caos chegou, pariu um Decreto da noite para o dia, sem consultar as classes e entidades, sem pensar no desastre econômico que causaria.

Falta quase tudo nesse governo

Falta postura, falta experiência, falta planejamento e gestão. Faltou atitude antecipada, fiscalização para prevenir a temida segunda onda. No Amazonas falta um governador de verdade. Só não falta dinheiro nos cofres públicos que estão cheios, apesar do ano difícil na saúde pública. Para onde esse dinheiro está indo? E esse questionamento deixo para os órgãos de fiscalização e controle descobrirem.

Acoado

Pressionado pelos calorosos atos que tomaram as ruas de Manaus contra seu famigerado decreto, Wilson Lima cedeu e aceitou participar de uma reunião de emergência com representantes de entidades da indústria e comércio. Certos de que o governador não teria pulso para segurar a bronca, os participantes partiram para cima do chefe do executivo. Seu xará, Wilson Périco, presidente do Centro das Indústrias do Estado do Amazonas (Cieam), abriu mão de falar como representante da entidade e, como cidadão, entonou voz firme para cobrar de Lima informações sobre investimentos na saúde pública durante a pandemia de Covid-19.

Encolhidinho na cadeira

Encorajado por sinais em apoio à sua fala vindos dos demais representantes do comércio, Périco enquadrou Lima com uma sequência de doloridas verdades: “Não prejudique a sociedade senhor governador. O que traz benefícios ao sistema de saúde são ações contundentes para corrigi-lo. Em nove meses não fizemos nada meu governador, nada foi feito”, disse. A essa altura o governador já estava pequenininho na sua cadeira ladeado por secretários que alternavam caras de nuvem e de vergonha alheia.

Fila no cemitério

Alheios à incompetência governamental, familiares das vítimas fatais do Covid-19 já promovem filas de carros às portas dos cemitérios de Manaus. Um vídeo com um longo congestionamento próximo ao cemitério do Tarumã, viralizou em aplicativos de mensagens e nas redes sociais. Seriam cortejos fúnebres aguardando a vez para darem o último adeus a seus entes queridos.

Não relaxa

Ouça o conselho de Wilson, não o Lima, mas o Périco. Adote uma ação contundente contra a proliferação deste terrível vírus. Use máscara, mantenha o distanciamento social, lave sempre as mãos e use álcool gel para higienizar, evite sair de casa sem necessidade e também, deixe para depois as reuniões em casas de amigos ou festas. Cuide de você, assim estará cuidando da sua família, dos amigos e dos amazonenses.

Anúncio