Depois de curtir ‘rolezinho’ em iate de luxo, Wilson Lima fecha balneário, flutuante e parte do comércio em Manaus

Depois de diversas denúncias desta coluna sobre o fechamento dos Caimis e Caics, o governo marcou a reabertura das unidades para outubro

Manaus – Após aproveitar domingo de sol em passeio no rio com iate avaliado em mais de R$ 2 milhões e tirar foto em flutuante, o governador Wilson Lima, anuncia nesta quinta-feira (24) o fechamento de bares e balneários por conta do aumento de casos do novo coronavírus (Covid-19). Depois de diversas denúncias desta coluna sobre o fechamento dos Caimis e Caics, o governo marcou a reabertura das unidades de saúde especializada para outubro, mostrando que pressionar político dá certo.

Culpa é da classe A e B

Durante discurso para divulgação das ações de reforço de prevenção ao vírus, o governador Wilson Lima culpou as classes A e B por aumentos dos casos de Covid-19, resultado das aglomerações. No último final de semana, o governador do Amazonas divulgou nas suas redes sociais, fotos de um dia de lazer em um passeio em um iate avaliado em R$ 2 milhões. No mesmo dia, Wilson tirou fotos no rio e em um flutuante.

Fechamento dos Caimis e Caics

Esta coluna e o ‘AMAZONAS DIÁRIO’ do GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC) denunciou diversas vezes sobre o fechamento dos Centros de Atenção Integral à Saúde da Criança (Caics) e dos Centros de Atenção Integral à Melhor Idade (Caimis), que pararam de atender desde o dia 24 de maio, deste ano, devido à pandemia da Covid-19, segundo a Secretaria Estadual de Saúde do Amazonas (SES-AM). Mas, mesmo ‘fechados’, os profissionais eram obrigados a cumprir plantão dentro das unidades, atuando como ‘vigias de luxo’. Porém, eram proibidos de atender mesmo com a unidade em perfeito estado para receber a população.

Reabertura das unidades de saúde

Após muita pressão do GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC) que buscava resposta do governo sobre a reabertura total do comércio mais permanência do fechamento sem previsão para retorno dos Caimis e Caics, finalmente o governo, depois de quatro meses, anunciou o retorno em 1º de outubro, de duas unidades. Vitória para a população amazonense que não terá mais que vê as unidades trancadas e cheias de funcionários da saúde, e nem precisando mais pagar por uma consulta particular.

Investigações do MP

O Ministério Público do Amazonas (MP-AM) instaurou procedimento administrativo no dia 1º de setembro para acompanhar a necessidade de suspensão dos serviços dos Caimis em razão da pandemia de Covid-19, bem como os protocolos e as medidas sanitárias necessárias para o retorno de suas atividades.

Fechamento do comércio

O aumento de casos do novo coronavírus estava evidente nos últimos dias, mesmo sem uma confirmação do Governo do Amazonas sobre uma possível segunda onda da pandemia do novo coronavírus na capital. Pelos próximos 30 dias, balneários, flutuantes, praias, casas de show e aluguel de sítios estão proibidos de funcionar. Restaurantes e conveniências só poderão funcionar até 22h.

Abertura das escolas

Mesmo com diversos relatos no aumento de casos do novo coronavírus entre profissionais da educação que protestaram contra o retorno às aulas, o governador Wilson Lima, confirmou para a próxima quarta-feira (30), o retorno das aulas presenciais do Ensino Fundamental na rede estadual, que será de forma híbrica, com aulas nas unidades e online.

Anúncio