Depois de tentar intervir na ALE, Wilson Lima quer manter o domínio na Associação dos Municípios

Dos milhões de reais enviados pelo governo Federal para o Estado no combate à pandemia, nenhum centavo foi repassado aos municípios do interior

Manaus – O governador do Amazonas, Wilson Lima, além de querer fazer um puxadinho da sua casa na Assembleia Legislativa do Estado (ALE), agora quer construir uma varanda na Associação Amazonense de Municípios (AAM). Segundo uma fonte que pediu para não ser identificada, dos milhões de reais enviados pelo governo Federal para o Estado no combate à pandemia, nenhum centavo foi repassado aos municípios do interior.

Municípios

De acordo com a fonte, a Associação Amazonense de Municípios (AAM) permaneceu a maior parte deste ano sem diretoria. Essa ausência de diretoria foi um terreno ótimo para que o governo do Amazonas construísse a sua varanda. O governo Federal enviou milhões de reais para o Estado no combate à pandemia, mas segundo a fonte, nenhum centavo foi repassado aos municípios do interior, entre outras omissões e ações de descaso.

Sem direção

Com a renúncia do prefeito de Maués, Júnior Leite da presidência da AAM em junho deste ano, o prefeito indicou um funcionário da AAM para representá-lo no cargo. Mas, segundo o estatuto essa situação não é permitida, já que a entidade só pode ser comandada por prefeitos e ex-prefeitos. Além disso, no ato de “nomeação” do funcionário, também era convocada uma eleição para o prazo de 120 dias. Esse prazo foi ignorado e a eleição não ocorreu.

Presidência

O funcionário do AAM permaneceu por alguns meses no comando da entidade sem qualquer questionamento por parte dos prefeitos. Na última sexta-feira (11), prefeitos se reuniram em Assembleia na sede da entidade e instituíram uma Diretoria, o que pegou o governador Wilson Lima de surpresa.

Revelações

Mas, alguns prefeitos que não se manifestaram ao longo do período em que a AAM foi comandada por um funcionário decidiram se rebelar, segundo a fonte, os prefeitos Anderson Souza de Rio Preto da Eva, Bi Garcia de Parintins e Andreson Cavalcante de Autazes, recorreram ao governador Wilson Lima para intervir na AAM.

Governo

Para a fonte, é estranho esse movimento dos prefeitos e que só pode ter uma razão: manter a entidade sob a tutela do Governador. Os prefeitos apresentaram uma liminar contra ao que ficou acordado durante Assembleia Geral. “Trata-se de ação anulatória de ato praticado em Assembleia Geral Extraordinária ajuizada por Anderson José Sousa e Carlos Roberto de Oliveira Junior. Alegam que no dia 11/12/2020 os réus reuniram-se na sede da Associação de Municípios do Amazonas (AAM) para, destituir o Diretor Executivo, Sr. Luiz Antônio de Araújo Cruz”, consta.

Decisão

Na liminar, a administração é devolvida para uma pessoa que não tem estatutariamente as competências para exercer o cargo inerente à Presidência. “Requerem a Concessão da TUTELA DE URGÊNCIA ANTECIPADA inaudita altera pars, com eficácia imediata, para suspender dos efeitos da assembleia realizada de forma irregular no dia 11/12/2020, mantendo o Diretor Executivo, Sr. Luiz Antônio de Araújo Cruz, para responder pela Administração da AAM, até a posse do Novo Conselho Diretor”, consta. Os prefeitos que promoveram a Assembleia pretendem recorrer da decisão.

Anúncio