Descaso do governo Wilson Lima mata policiais militares no interior

Um exemplo dessa falta de preocupação do governo com a tropa é o caso do cabo da PM Aldison Almeida, que foi espancado e atingido por tiros durante ocorrência na Comunidade Auxiliadora, no município de Humaitá

Manaus – Nem a própria Polícia Militar (PM) tem segurança para atuar contra o crime organizado. Um exemplo dessa falta de preocupação do governo com a tropa é o caso do cabo da PM Aldison Almeida, que foi espancado e atingido por tiros durante ocorrência na Comunidade Auxiliadora, no município de Humaitá. O policial morreu neste sábado depois de dias internado no Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto em Manaus.

Ocorrência

Segundo informações da Policia Militar, no último dia 5 de setembro, pelo menos dez homens armados invadiram a unidade policial da Comunidade Auxiliadora, na zona rural de Humaitá. Os criminosos, atiraram contra o cabo Aldison Guacebe de Almeida e seu companheiro de plantão, e depois roubaram as armas dos policiais militares. Na época, em áudio, um policial relatou: “eles tomaram as nossas armas, eram uns dez, tomaram a arma do Guacebe, deram um tiro no braço deles”.

Nota da Polícia

Em nota, a Polícia Militar do Amazonas (PMAM) lamentou a morte do policial e informou que está prestando apoio à família e providencias quanto ao funeral do cabo. “O Comando da PMAM está providenciando o translado do corpo para a sua cidade, local onde receberá as honras militares e será sepultado. Transmitimos nossos mais profundos sentimentos”, diz a nota.

Policiais sofrem sem gestão

O fato acontecido em Humaitá reflete o descaso do governo com os policiais militares do interior do Estado, que mesmo sem estrutura adequada lutam para proteger a população. O tenente-coronel Ubirajara Rosses divulgou nas redes sociais um vídeo prestando condolências. “Mais uma vez, um elemento da polícia militar é vítima desse descaso do governo e da Secretária de Segurança Pública. Se aqui na capital estamos em situação precária, imagina no interior. Até o momento, nada foi feito para capturar os vagabundos que fizeram isso com nosso irmão”, disse.

Em Humaitá

Os dez criminosos que invadiram a unidade policial, levaram duas pistolas e uma arma longa, além disso, a motocicleta dos policiais militares que foi queimada. No dia seguinte ao ataque, as armas apareceram jogadas próximo a um barranco.

Nova Olinda do Norte

No início do mês de agosto, o cabo Márcio Carlos de Sousa e o sargento Manoel Vagner Silva foram mortos em uma emboscada provocada por traficantes locais entre as regiões dos rios Abacaxis e Paraconi, em Nova Olinda do Norte. O local já foi alvo de grandes operações pelo combate ao tráfico de drogas. Dois dias depois, “Bacurau” identificado como um dos principais suspeitos de liderar a emboscada que vitimou os dois policiais do Comando de Operações Especiais (COE), morreu após reagir a prisão.

Policiais mortos

Em menos de dois meses o Amazonas registrou a morte de três policiais militares em confrontos contra o crime organizado. Os militares são vítimas da violência, principalmente no interior, que sofre com a falta de efetivo equilibrado, equipamentos necessários para o trabalho como viaturas, armas e munições.

*Apresentador do programa AMAZONAS DIÁRIO

Anúncio