Estado rico e população na miséria? Explica isso Wilson Lima!

Apenas nos três primeiros meses deste ano, apesar da pandemia da Covid-19, o Estado arrecadou mais de R$ 5,5 bilhões, maior em relação ao mesmo período do ano passado

Manaus – O nosso Estado é rico, não apenas de pessoas carismáticas que se unem para ajudar. É abundante não apenas de biodiversidade mas de arrecadação, diferente do que o governo do Amazonas anunciou segundo denúncia de um deputado estadual. Apenas nos três primeiros meses deste ano, apesar da pandemia da Covid-19, o Estado arrecadou mais de R$ 5,5 bilhões, maior em relação ao mesmo período do ano passado. Por outro lado, vemos milhares de amazonenses lutando para manter o pão de cada dia na mesa de sua família, batalhando para pagar as contas e se reinventando para buscar alternativas honrosas de manter sua casa em pé. Outra denúncia importante, é voltada à população ribeirinha, para que o governo apresente o plano emergencial para o período de cheia no Estado que todos os anos afeta diversas famílias.

Arrecadação

De acordo com denúncia do deputado estadual Dermilson Chagas, ao contrário do que o Governo do Amazonas vem anunciando, a arrecadação tributária não caiu por causa da segunda onda da pandemia da Covid-19, registrando uma crescente de 14% em março, comparando com o mesmo período do ano passado.

Cofres públicos

Mesmo com as restrições, a arrecadação foi superior pelo terceiro mês consecutivo. “No mês de março de 2020, o Estado arrecadou R$ 1,6 bilhão. Já em março de 2021, R$ 1,8 bilhão. Isso demonstra que o Governo, mesmo com crise, com pandemia, restringindo atividades comerciais, fechando restaurante e fazendo lockdown para vários segmentos, vem tendo superávit na sua arrecadação”, disse Dermilson Chagas.

Benfeitorias

Apesar da arrecadação continuar a todo vapor, quais benfeitorias foram realizadas para a população amazonense durante esses meses? De acordo com o deputado, a alta na arrecadação indica que a economia do Estado está indo bem, ao contrário do que o governo noticia. “O Estado em si não fez nada para aumentar a arrecadação. Nada! Não houve uma engenharia tributária, não houve uma lei que pudesse dizer que houve aumento dos impostos. E o governo vem fazendo uma política que não atende a necessidade da sociedade”, falou.

Cheia

Outra crítica feita ao governo de Wilson Lima, é sobre a estruturação de um plano emergencial para os municípios que sofrem no período da cheia amazônica. Segundo o parlamentar, o governo já tem conhecimento e informações dos órgãos meteorológicos de que será uma super cheia. “O que é ainda mais alarmante é o que governo vem anunciando, dizendo que vamos ter uma super cheia, mas estamos vendo somente o governo do Estado com alguns deputados entregando ranchinhos, que não são suficientes. O certo seria entregar uma quantidade adequada para que as pessoas pudessem suprir suas necessidades por quatro ou seis meses, dependendo do município e da região, e do momento que essa enchente chegar lá. E o quê que o governo tem feito realmente?”, indagou.

Anúncio