Faltam apenas duas assinaturas para abrir a CPI que vai investigar contratos milionários no Hospital Delphina Aziz

Os deputados que faziam parte da comissão, abriram a ‘Caixa de Pandora’ e descobriram diversos contratos suspeitos

Manaus – As investigações dos contratos da saúde pública realizada pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde abalaram as estruturas do governo do Amazonas. Os deputados que faziam parte da comissão, abriram a ‘Caixa de Pandora’ e descobriram diversos contratos suspeitos, superfaturamento, serviços prestados sem qualidade, entre outros. Uma nova proposta de CPI já está circulando na Assembleia Legislativa do Estado (ALE), desta vez, especificamente no ‘Elefante Branco’ apontado como um dos contratos mais caros da saúde pública, o Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz e UPA Campos Salles.

Investigação

Durante as investigações da CPI da Saúde da Assembleia Legislativa do Estado (ALE), a população do Amazonas pode acompanhar ao vivo os depoimentos dos convocados e também o trabalho dos deputados pertencentes a comissão. Foram cerca de três tentativas de jurisdição dos deputados da base do governo de Wilson Lima para suspender os trabalhos da CPI. Após 120 dias de investigação os deputados pediram prorrogação por mais 60 dias que não foi votada por falta de quórum. Boicote do governo.

Elefante Branco

Pesquisando os contratos, comprovantes e ações do Complexo Zona Norte, os deputados estaduais se depararam com um grande ‘Elefante Branco’ administrado por duas empresas, pela Organização Social (OS) Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH) que recebeu cerca de R$ 17 milhões e pela Parceria Público-Privada (PPP) a Zona Norte Engenharia, Manutenção e Gestão de Serviços S.A, que recebeu R$ 13 milhões, por meio do contrato de gestão nº 001/2019. Ao todo o consórcio custava por mês mais de R$ 30 milhões aos cofres públicos.

Caixa de Pandora

No dia 07 de outubro, o deputado Wilker Barreto (Podemos) que foi um dos membro da CPI da Saúde da ALE apresentou um pedido que promete amedrontar a base governista da Assembleia, a criação de uma nova CPI para investigar a fundo as duas empresas que possuem contratos milionários no Hospital e Pronto-Socorro Delphina Abdel Aziz e UPA Campos Salles. De acordo com o deputado, faltam poucas assinaturas para a implementação das investigações. “Estamos com grande expectativas. Já temos seis assinaturas e essa CPI da OS e da PPP vai permitir que a Assembleia Legislativa faça uma devassa análise em um dos maiores contratos hoje, pagos com dinheiro público pelo governo do Amazonas”, explica Barreto.

Gastos Milionários

Ficou constatado durante as investigações que recursos públicos destinados ao complexo de saúde não foram implementados corretamente, já que análises mostram que o governo do Amazonas repassou R$ 82,8 milhões para Hospital Delphina, que investiu apenas R$ 1,8 milhão durante a pandemia de Covid-19. “Estou falando que essa OS do Hospital Delphina Aziz, mais a PPP passam dos R$ 300 milhões gastos. Isso com certeza, precisa ser investigado como ficou muito claro durante a CPI da Saúde”, disse o deputado.

CPI da OS

Segundo o deputado Wilker Barreto, que apresentou a proposta de criação há cerca de dois meses na ALE, faltam poucas assinaturas para a criação de uma nova Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). “Acredito que para a próxima semana podemos ter as oito assinaturas necessárias, porque já temos seis e faltam apenas duas assinaturas para implementarmos a CPI da OS”, explicou.