Forçados a defender Wilson Lima nas redes sociais, assessores se revoltam e denunciam

Segundo a denúncia, os assessores estão proibidos de usar as próprias redes sociais para postar fotos de família

Representantes do governador Wilson Lima foram denunciados por assédio moral coletivo através de relatos de assessores. Segundo informações, tudo aconteceu em uma reunião com cerca de 40 assessores de comunicação das secretarias de Estado do Amazonas que receberam o alerta de ‘dar visibilidade às ações do governador e a proibição do uso das redes sociais pessoais para que não seja com essa finalidade’. Ou seja, os assessores estão proibidos de usar as próprias redes sociais para postar fotos de família. Eles pedem que o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Amazonas (Sjpam) apurem esse assédio moral contra seus associados.

Determinação

Segundos informações, a ordem direta do governador do Amazonas, Wilson Lima, foi dada pela Secretaria de Comunicação (Secom) em uma reunião de emergência com a participação de aproximadamente 40 assessores. O papel da Secom foi cobrar de maneira firme os assessores de imprensa das secretarias e autarquias do governo. A determinação é para que haja mais empenho na divulgação das matérias positivas do governador, a fim de que o protagonista seja o Governo do Amazonas e não as secretarias.

Eleições

De acordo com os relatos, ficou claro que a determinação do Governo do Amazonas tem o objetivo de mirar as eleições de 2022. Como a imagem e o favoritismo do governador Wilson Lima está em baixa, após inúmeras denúncias e investigações, a máquina governamental busca a todo custo reverter esse quadro. “O engajamento é foco no governador”, citou uma das fontes que estava na reunião. Wilson Lima determinou que a Secom monitorasse cada assessor que se “esconde” na defesa do governo nas redes sociais. Segundo a fonte, foi dito na reunião que “a partir de agora acabou a paciência do governador”.

Campanha

A contagem regressiva começou mesmo para a cúpula do Governo do Amazonas e seus fantasmas que não querem perder o poder. Segundo uma das fontes, na reunião de emergência foram debatidos diversos assuntos, entre eles a orientação para as “entregas de equipamentos, máquinas, insumos e produtos por conta do período eleitoral”. Outro tema foi a execução de emendas parlamentares destinadas por deputados.

Proibição

Mas além de toda a conversa política e marketing para elevar o nome do governador do Amazonas, um item discutido na reunião estremeceu muitos assessores de comunicação que receberam a ordem para utilizar as redes sociais pessoais com restrição, evitando, por exemplo, a publicação de fotos de passeios, eventos e encontros de família. “A orientação é seguir o padrão e trazer para o Estado o protagonismo. E estão nos privando de postagens em nossas redes pessoais. Se formos para cachoeiras ou eventos pessoais, familiares, nada disso poderá ser postado de hoje em diante”, relatou outro assessor. Os assessores presentes pedem que o Sjpam apure o assédio realizado na reunião.

*Jornalista e apresentador do AMAZONAS DIÁRIO

Anúncio