Governo do Amazonas gasta mais de R$ 5 milhões com programa para médicos em casa que não chega à população

Esses gastos foram nos últimos dois anos com médico, enfermeiro, entre outros profissionais

Manaus – Após tantos registros de reclamações de amazonenses que não são beneficiados com o programa ‘Melhor em Casa’, o governo do Amazonas faz novo pagamento para serviços de profissionais de saúde que não chegam na casa da população. Nos últimos dois anos, foram gastos mais de R$ 5,1 milhões com médico, enfermeiro, fisioterapeuta, nutricionista, assistente social, fonoaudiologia, psicólogo, entre outros profissionais que não são vistos por quem participa ou tenta participar do programa de saúde.

Saúde

Esta coluna denunciou no mês de outubro, através de relatos de manauaras, que o programa ‘Melhor em Casa’ não estava mais funcionando corretamente na capital, mas, milhões de reais já haviam sido gastos no Estado com o programa federal. O projeto disponibiliza médico, enfermeiro, fisioterapeuta, técnico de enfermagem, nutricionista, assistente social, fonoaudiólogo, psicólogo, farmacêutico, administrativo para atender ao Sistema Único de Saúde do Amazonas (SUS-AM).

Gastos

A contratada para fornecer os serviços de profissionais de saúde pelo Governo do Amazonas é a empresa BRB Serviços em Saúde Ltda., com CNPJ 19.008.322/0001-05, localizada no bairro Alvorada. Segundo informações obtidas através do Portal da Transparência do Amazonas, apenas nos últimos dois anos, o governo do Amazonas investiu mais de R$ 5,1 milhões dos cofres ao programa Melhor em Casa. Em 2019, foram gastos R$ 3,1 milhões e neste ano, já foram investidos mais de R$ 1,9 milhões.

População

Mas, apesar de todo esse investimento realizado pelo governo do Amazonas, esta coluna continua recebendo denúncias de que o serviço não está chegando até a população manauara que necessita do funcionamento do projeto que leva profissionais da saúde para dentro da casa de quem precisa de tratamento mas não pode se locomover.

Melhor em Casa

Apesar do investimento milionário, em nota enviada em outubro, a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM) informou ao GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO(GDC), que o ‘Programa Melhor em Casa’ é do governo federal, executado pelo Estado, focado na desospitalização de pacientes internados e que possuem doenças crônicas, ou seja, que não têm cura. Realizado no Amazonas desde 2016 e hoje a tende 381 pacientes.

Importância

Uma das famílias que utiliza o programa Melhor em Casa conversou com esta coluna e falou sobre a importância do atendimento desses profissionais in loco. Claudemir Reis é pai de Davi que teve derrame cerebral ocasionado pela demora no parto. O pai já denunciou o péssimo serviço duas vezes no Ministério Público do Amazonas (). “Era um pouco precário, mas agora piorou muito e isso é questão de vida do meu filho, está sendo muito arriscado sair com ele de casa para pegar laudo, orientação e outras coisas. E nesse momento, os responsáveis falaram que não tem médico, enfermeiro, ninguém”, disse.

Ajuda

A família do pequeno Davi, gasta por mês cerca de R$ 5 mil para manter a alimentação específica por sonda, já que apesar de 7 anos de idade, tem estrutura de uma criança de colo. “Ele precisa de uma alimentação especial por causa da condição dele. Da última vez ele foi internado com desnutrição e problema pulmonar. Ano passado, ele quase veio à óbito por desnutrição, ele ficou internado na UTI. É obrigação do governador nos ajudar”, relatou o pai que já entrou com dois processos para garantir a alimentação.