Governo gasta 154% a mais no Delphina Aziz do que nos outros três maiores hospitais de Manaus

Em um cálculo realizado por esta coluna descobrimos que o hospital consome aproximadamente, o mesmo orçamento mensal gasto com três grandes hospitais da capital

O maior foco de desserviço com a população durante a pandemia de Covid-19, que foi investigado pela CPI da Saúde é o Hospital e Pronto-Socorro Delfina Abdel Aziz que é gerenciado pelo governo do Amazonas. Em um cálculo realizado por esta coluna descobrimos que o hospital referência para o tratamento de pacientes infectados com o vírus consome aproximadamente o mesmo orçamento mensal gasto com três grandes hospitais da capital.

Investigação

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde da Assembleia Legislativa do Estado (ALE) que descobriu a triangulação e irregularidades nos contratos para a compra dos 28 ventiladores pulmonares adquiridos pelo governo de Wilson Lima em uma loja de vinhos – questão investigada pela Polícia Federal na Operação Sangria – apontou irregularidades em contratos para o aumento em número de atendimentos no Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz.

Pandemia

No início da pandemia de Covid-19 no Amazonas, o governo do Estado determinou o Hospital Delphina Aziz como a unidade de referência para o tratamento de pacientes infectados pelo vírus. Na época das investigações, em agosto do ano passado, os parlamentares apontaram indícios de irregularidades em contratos do governo para aumentar a capacidade de atendimento na unidade administrada pelo Instituto de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH).

Leitos

Em abril do ano passado, o INDSH recebeu aditivo de R$ 8 milhões do governo do Amazonas, com o objetivo de ampliar a capacidade de atendimento de pacientes infectados. Conforme documento oficial da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), a taxa de ocupação da unidade ficou em 50%, chegou a 71% em maio, caiu para 66% em junho e ficou em 67% em julho. Em abril, durante o colapso no sistema de saúde do Estado, o governo informou que a unidade não tinha mais capacidade operacional para receber pacientes. A CPI denunciou que o INDSH recebeu integralmente o valor dos dois contratos, mas, ofertou para a população apenas uma parte.

Gastos

Levantamento realizado por esta coluna, utilizando documentos oficiais obtidos no Portal da Transparência do Amazonas, mostram os gastos do Governo do Estado com os hospitais até o dia 4 de maio de 2021. O Hospital Delphina Aziz, possui empenhado mais de R$ 96 milhões, sendo liquidado R$ 87,4 milhões e recebeu mais de R$ 87,4 milhões.

Hospitais

O governo do Amazonas empenhou com o Hospital 28 de Agosto, cerca de R$ 26,5 milhões, liquidou R$ 18,3 milhões e pagou mais de R$ 16 milhões. O Hospital João Lúcio tem empenhado R$ 21,8 milhões, liquidado R$ 13 milhões e recebeu pouco mais de R$ 11,4 milhões. O Hospital Platão Araújo tem empenhado R$ 11,5 milhões, liquidado R$ 6,9 milhões e recebeu R$ 6,7 milhões. A diferença paga ao Hospital Delphina Aziz com os três hospitais é superior a R$ 53 milhões nos quatro primeiros meses do ano.

Amazonas

A diferença paga ao Hospital Delphina Aziz e com os outros três grandes hospitais da cidade, é de aproximadamente 154%. Enquanto o Delphina Aziz recebeu R$ 87,4 milhões, os três maiores hospitais receberam R$ 34,3 milhões. Exemplificando, o custo gasto com o Hospital Delphina Aziz daria para pagar o dobro do que foi pago ao Hospital 28 de Agosto, Hospital João Lúcio e Hospital Platão Araújo. Ou seja, daria para ser realizado o dobro de atendimento à população.

Anúncio