Governo vai gastar R$ 1,5 mi com Instituto para comprar água e canoa sem especificar a quantidade

Nos últimos anos, um caso envolvendo um instituto, desviou cerca de R$ 300 milhões da saúde pública do Estado

Manaus – Na última semana, o Governo do Amazonas comprometeu R$ 1,5 milhão dos recursos públicos para a compra de água e canoa, sem ao menos especificar a quantidade a ser adquirida no Instituto Rio Negro. A movimentação de verbas acende o sinal de alerta diante da atual administração, que está sendo investigada pela Polícia Federal (PF), por diversos crimes como compra superfaturada de equipamentos para serem usados no combate à pandemia de Covid-19. Nos últimos anos, um caso envolvendo um instituto, desviou cerca de R$ 300 milhões da saúde pública do Estado, causando efeitos e marcas que são vividas pela população amazonense que necessita do serviço.

Água

De acordo com documentos obtidos no Portal da Transparência do Amazonas, no dia 16 de junho, o Governo do Amazonas por meio da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), emitiu uma Nota de Execução de Despesa no valor de R$ 500 mil, em favor do Instituto Rio Negro. O recurso utilizado é proveniente de Emenda Parlamentar Impositiva, destinada para “executar o projeto voltado às necessidades básicas de pessoas em situação de vulnerabilidade social visando a inserção de tecnologia específica para a contínua filtragem e distribuição de água de forma a prover água potável para o consumo humano no curto, médio e longo prazo”, cita.

Canoa

Na semana passada, no dia 2 de julho, o Governo do Estado por meio da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), emitiu outra Nota de Execução de Despesa para o Instituto Rio Negro, desta vez, no valor de R$ 1 milhão. Segundo o documento, o valor é para aquisição de canoas de 7 metros com motores, capota e acessórios, para beneficiar às colônias de pescadores, como forma de garantir melhores condições de trabalho e possibilitar uma melhor qualidade de vida aos associados. Porém, o documento não especifica a quantidade de canoas a serem adquiridas.

Instituto

Apenas nessas duas notas, o Governo do Amazonas vai desembolsar R$ 1,5 milhão para o Instituto Rio Negro que foi criado para desenvolver a função de coadjuvante responsável, no auxílio aos atores principais do desenvolvimento regional. A sede está localizada na Avenida Cosme Ferreira, no Zumbi dos Palmares, na Zona Leste de Manaus.

Maus Caminhos

O volume alto de recursos públicos destinado ao Instituto Rio Negro acende o sinal de alerta e chama atenção pelo escândalo de corrupção do Instituto Maus Caminhos, administrado pelo Governo do Amazonas na gestão de José Melo. Na Operação Maus Caminhos em alusão ao nome do Instituto, a PF descobriu um esquema de fraude, superfaturamento em contratos, pagamento de propina e organização criminosa envolvendo empresários, políticos e servidores, resultando na prisão do então governador, José Melo. Em apenas um contrato investigado foi constatado um superfaturamento de quase 400%. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), ainda não se tem um valor exato, mas estima-se que foram desviados entre R$ 300 a R$ 500 milhões da saúde.

Anúncio