Incompetência: Wilson Lima ainda não conseguiu comprar nenhuma usina de oxigênio

São cerca de 31 usinas de oxigênio em funcionamento no Amazonas mas nenhuma delas, segundo denúncia, foram adquiridas pelo atual governo

Manaus – O setor mais importante para o Governo do Amazonas é o de publicidade que está divulgando as instalações das usinas geradoras de oxigênio em todo o Estado. Atualmente, são cerca de 31 usinas de oxigênio em funcionamento no Amazonas mas nenhuma delas, segundo denúncia do deputado estadual delegado Péricles, foram adquiridas pelo atual governo, vieram do Ministério da Saúde, de grupos voluntários, empresas, particulares, entre outros. Até agora, quase no final do mês de fevereiro, o Governo de Wilson Lima não conseguiu finalizar o processo de compra das usinas de oxigênio para o Estado.

Oxigênio

Esta coluna conversou com o deputado estadual delegado Péricles que denunciou que nenhuma das usinas geradoras de oxigênio que estão em funcionamento no último mês no Amazonas foram obtidas pelo Governo de Wilson Lima. “Por mais que em muitos cards das redes sociais da atual gestão, ele anuncie conquistas referentes a isso, nenhuma delas (usinas de oxigênio) teve o governo do Amazonas como origem”, disse.

Usinas

De acordo com o último levantamento divulgado, são 31 usinas geradoras de oxigênio em funcionamento no Amazonas. A previsão é que o Estado receba o número total de 62 usinas, dessas 29 fazem parte da aquisição do Governo de Wilson Lima que ainda está na fase de processo de compra. Ainda segundo o documento, além da compra a ser realizada pelo governo, outras sete foram adquiridas pelo Ministério da Saúde, seis compradas por prefeituras do interior do Estado, cinco doadas pelo Hospital Sírio-Libanês e Fundação Itaú, três doadas pela empresa White Martins do Amazonas, três doadas pela iniciativa Doação SOS Amazonas, mais três pela Doação União BR e duas doadas por particulares.

Passo lento

É importante divulgar que até agora o Governo de Wilson Lima não conseguiu finalizar a compra das usinas, sendo que outras prefeituras, empresas e doadores conseguiram realizar a compra, enviar ao Estado e realizar a instalação do equipamento que vai produzir o gás medicinal. “Deve ser difícil admitir que todos eles agiram mais rápido do que, quem de fato carrega a responsabilidade de cuidar da população do Amazonas, de gerir o estado. Todas as usinas que estão sob a responsabilidade da atual gestão ainda estão em processo de compra. A maioria tendo como destino municípios do interior do estado que precisam urgentemente de auxílio por ter mergulhado na fase roxa de contágio pela Covid-19”, ressaltou Péricles.

Publicidade

No setor que o Governo de Wilson Lima mais se dedica, a Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), a atual gestão já gastou nos últimos dois anos e empenhou nesses primeiros meses deste ano, o total de R$ 190,8 milhões. Apenas o valor gasto com publicidade no ano passado daria para pagar o dobro do valor prometido pelo governo no Cartão Auxílio Estadual que será de R$ 600 em três parcelas. Se o valor dobrasse, para R$ 400 por mês as famílias contempladas poderiam comprar mais alimentos da cesta básica para atravessar a crise diária instalada pela pandemia de Covid-19 em todo o Estado.

Anúncio