No governo Wilson Lima tudo pode piorar: criança aguarda há três anos cirurgia no rim

A menina de três anos de idade está internada no Instituto de Saúde da Criança do Amazonas (Icam) com dores e infecções recorrentes

Manaus – Uma mãe desesperada para salvar a vida da filha está lutando contra o descaso da saúde do Amazonas. A pequena Ingrid de apenas três anos de idade, segue internada no Instituto de Saúde da Criança do Amazonas (Icam) com dores e infecções recorrentes, estando em quadro de saúde crítico, já que o rins da pequena não está mais filtrando. No meio deste turbilhão de emoções, a mãe ainda luta contra a burocracia, falta de informação e também perseguição do governo que tenta calar as denuncias da população.

Longa espera

Natural do município de Coari, Izanir Guedes Da Silva de 39 anos é a mãe da pequena Ingrid Saraiva Guedes de apenas três anos de idade que está internada há dias no Instituto de Saúde da Criança do Amazonas (Icam). Desesperada, a mãe relatou a esta coluna o descaso que está sofrendo pois não consegue realizar exames e muito menos marcar a data da cirurgia. “A minha filha nasceu com má formação no rim. O lado esquerdo está parado e é preciso retirar, foi isso que um médico falou, mas até agora não conseguimos fazer todos os exames e nem marcar a cirurgia que já era para ter sido feita assim que ela nasceu”, relatou.

Laudo médico perdido

A pequena Ingrid estava sofrendo com a infecção causada pelo não funcionamento do rim e sofria com febre e dores. “Depois de dias com minha filha internada, vieram me informar que haviam perdido o documento que solicitava o parecer médico. Foi quando me falaram que não sabiam nem do problema renal da minha filha e que iriam apenas tratar a infecção que ela tinha. Isso não está certo, eu preciso de ajuda, preciso que minha filha tenha o direito de ser atendida corretamente e realizar essa cirurgia”, falou.

Remarcação de exames

Segundo a mãe, há dias estão aguardando a realização de exames e para um deles, é necessário que a pequena Ingrid faça dieta zero, sem água ou comida, apesar de cumprir a recomendação, o exame já foi remarcado várias vezes. “Minha filha ficou dois dias de dieta zero nessa semana que passou e nem precisava porque descobri que nem sequer foi marcado esse exame. Mesma coisa com a ressonância magnética que tinha sido marcado para o dia 11 de dezembro, depois dia 15 e transferida para dia 21, após eu ir na sede do governo solicitar esse exame. Agora, foi a mesma coisa, fiz a denúncia e uma pessoa do governo entrou em contato comigo e disse que não era certo eu denunciar porque é como se eles não estivessem fazendo o seu trabalho. Mas, eu pensei: não estão fazendo! Porque senão minha filha não estaria nessa situação e eu ainda disse que tenho provas, áudios, mensagens e documentos”, relatou a mãe.

Greve dos médicos

Uma das desculpas ditas para a mãe é que o serviço estava precário por conta da greve dos médicos. “Falaram que aqui no ICAM os médicos estavam de greve, então fui questionar ao Ministério Público e recebi a resposta que o contrato referente ao mês de dezembro das cirurgias eletivas estava resolvido e que era desconhecido a não realização de cirurgias de emergência ou greve. São muitas informações desencontradas, mas agora com o retorno dos médicos me deu uma luz de esperança. Estou esperando que algum médico cirurgião venha e olhe os exames da minha filha porque até agora não tenho informações, não falam nada, quer dizer.. eu fico aqui esperando e já fazem três anos”, disse.

*Apresentador do AMAZONAS DIÁRIO

Anúncio