Os crimes do governo de Wilson Lima devem ser julgados pelo STJ em junho

Será apurada a denúncia apresentada pela PGR que descreve Lima como líder de organização criminosa, instalada na cúpula do governo do Amazonas

Manaus – O céu em cima do governador Wilson que antes era de ‘brigadeiro’, começa a se fechar cada vez mais e tempestades com furacões são previstas com mais intensidades nos próximos dias. De acordo com uma fonte, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) julgará no mês de junho, a denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) que descreve Lima como líder de organização criminosa, instalada na cúpula do governo do Amazonas.

Superfaturamento

Há mais de um ano, ocorre as investigações do maior escândalo cometido pelo governo do Estado, durante a pandemia de Covid-19 no Amazonas. A Operação Sangria investiga o esquema na compra superfaturada de 28 ventiladores pulmonares para tratamento de paciente infectados, em uma loja de vinhos. A Polícia Federal já deflagrou três fases da operação com busca e apreensão.

Julgamento

Na última semana, dia 26 de abril, a PGR apresentou denúncia contra o governador Wilson Lima e outras 17 pessoas, ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). De acordo com o site, O Antagonista, no mês de junho será julgado a denúncia contra Wilson Lima que é acusado por dispensa indevida de licitação, fraude à licitação, peculato, lavagem de dinheiro, causando prejuízo de milhões de reais na compra de respiradores.

Criminoso

De acordo com a denúncia assinada pela subprocuradora-geral da República, Lindôra Araújo, na cúpula do governo do Amazonas está instalado uma organização criminosa sob o comando do próprio governador. “uma verdadeira organização criminosa que tinha por propósito a prática de crimes contra a Administração Pública, especialmente a partir do direcionamento de contratações de insumos para enfrentamento da pandemia, sendo certo que, em pelo menos uma aquisição, o intento se concretizou”, diz o trecho.

Desvios

Ainda na denúncia, o governador do Amazonas que busca encontrar uma maneira de sobreviver politicamente, é acusado junto com um servidor público, de embaraçar as investigações da organização criminosa por meio da adulteração de documentos. A PGR cita os inúmeros documentos apreendidos, os depoimentos dos servidores presos e principalmente, a troca de mensagens entre os investigados. O órgão pede a condenação dos denunciados, a perda do cargo pelos servidores públicos e o pagamento de indenização causadas ao erário.

CPI da Covid

Além de responder para o Superior Tribunal de Justiça (STJ), o governador do Amazonas prevê mais uma tempestade chegando, a Comissão Parlamentar Inquérito (CPI) da Covid no Senado. A partir desta terça-feira (4) deve iniciar os primeiros depoimentos da investigação que apura os gastos públicos dos governantes durante a pandemia no Brasil.

Furacão

A abertura dos trabalhos da CPI da Covid e a denúncia da PGR, vieram fechar o tempo no céu azul do governador Wilson Lima que mesmo carregando uma porcentagem considerável de rejeição da população, tem pretensão de se reeleger no cargo. A CPI do Senado, piora a situação do governador, sendo que a investigação foi motivada após a tragédia no início de janeiro, com a falta de oxigênio nas unidades de saúde que matou dezenas de pessoas.

Anúncio