Presidente do impeachment é suspeita de desviar R$ 6,3 milhões quando foi secretária de Esportes

A deputada Alessandra Campelo (MDB), antes de ser representante do povo, atuou no governo de Omar Aziz, no comando da Sejel, a partir de 2012

Manaus – A deputada Alessandra Campelo (MDB), antes de ser representante do povo, atuou no governo de Omar Aziz, no comando da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), a partir de 2012. Em contratos realizados no ano seguinte, o Ministério Público do Estado (MP-AM) investigou indícios de corrupção em três contratos entre a Sejel e o Programa Sociais do Amazonas (Prosam) no valor de R$ 6,3 milhões.

Convite do senador da ‘Maus Caminhos’

Na biografia de Alessandra, no site da Assembleia Legislativa (ALE-AM), conta que em fevereiro de 2012, a convite do governador Omar Aziz, ela assumiu o comando da Sejel onde permaneceu até abril de 2014. Logo após, foi eleita como deputada estadual.

Contas com ‘ressalvas’

As prestações de contas da Sejel na gestão de Alessandra Campelo, em 2012 e 2013, foi julgada regular com ressalvas. O mesmo aconteceu em duas prestações de Convênio de 2014, que ainda foram julgadas regular com ressalvas.

Possível corrupção de R$ 6,3 milhões

Alessandra Campelo foi investigada pelo MP-AM devido a indícios de corrupção que sugerem desvios nos três contratos celebrados entre a Sejel e o Programa Sociais do Amazonas no valor de R$ 6,3 milhões, referente ao ano de 2013.

Convênio irregular de R$ 1 milhão

Na prestação de contas do 1º repasse do Convênio nº 06/2013 no valor de R$ 1,1 milhão entre a Sejel e a Fundação São Jorge, que tinha o objetivo de promover o programa ‘Bom de Bola’, a indícios de irregularidades, ilegalidade e multas à Alessandra Campelo, segundo parecer do Ministério Público de Contas.

Mais processos no Ministério Público

Outro processo em análise pelo MPC é a prestação de contas do Convênio nº 28/2013 de R$ 20 mil entre o Governo do Amazonas e a Sejel. O valor foi direcionado para apoio financeiro e realização do evento ‘III Encontro Amazônico de Estudantes de Educação Física CEFIEP/AM 2013’.

Suspeita de ilegalidade em contas

Em 2015, a prestação de contas do presidente da Associação da Comunidade Boa Vista de Santa Luzia do Repartimento de Taiué, referente ao Convênio nº 12/2014, firmado na gestão de Alessandra Campelo na Sejel, aponta ilegalidade, irregularidade de prestação de contas e multas, de acordo com processo no setor DEATV do Tribunal de Contas do Amazonas.

Mais um processo no TCE

Alessandra foi notificada em mais um processo que está em análise no Tribunal de Contas desde 2017 sobre a prestação de contas da parcela única do Convênio nº 35/2013 firmado entre a Sejel e o Centro de Equoterapia Manaus, no valor de R$ 13,2 mil.

Pezinho na ‘Maus Caminhos’

Em janeiro de 2018, no relatório da Polícia Federal (PF) sobre a ‘Operação Maus Caminhos’, que investigou desvios de recursos na Saúde do Amazonas revelou que em setembro de 2015, Alessandra Campelo se hospedou por três dias em um hotel de luxo em Brasília. A hospedagem, segundo a PF, foi paga pelo ex-secretário de Fazenda, Afonso Lobo, com dinheiro de corrupção.

*Apresentador do programa AMAZONAS DIÁRIO

Anúncio