Profissionais da saúde denunciam perseguição por revelarem corrupção no governo

Profissionais relatam sofrer abusos, perseguições e assédio pelos diretores da unidade que precisam obedecer ordens da cúpula da saúde

Manaus – Com o caos na saúde, além da população amazonense que sofre com a falta de atendimento médico, os profissionais da saúde relatam sofrer abusos, perseguições e assédio pelos diretores da unidade que precisam obedecer ordens da cúpula da saúde. Um profissional da Policlínica Codajás usou as redes sociais para denunciar o que os colegas estão enfrentando diariamente. Outro profissional relatou que, após divulgação de fotos dos respiradores escondidos, mais de 30 câmeras de segurança foram instaladas para monitorar o passo a passo dos profissionais. Uma fonte, que pediu para não ser identificada, revelou a essa coluna que teme que os respiradores e as cápsulas tenham sido retirados na madrugada durante o fim de semana.

Saúde

A pressão está tão forte em cima dos profissionais de saúde da Policlínica Codajás, no bairro Cachoeirinha, zona sul de Manaus, que um funcionário gravou um vídeo para denunciar todo o abuso que eles vem sofrendo. Utilizando máscara, óculos e capuz para não ser reconhecido, o profissional de saúde fala sobre a rotina pesada dentro da unidade de saúde e a atuação da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM).

Perseguição

Como já relatado por outros profissionais de saúde em unidades como o Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, a perseguição está grande dentro da Policlínica Codajás. “Os funcionários vem vivendo de uma forma que estão com o psicológico abalado pela tamanha perseguição com eles. A gente vem sendo coagido e pelo que a gente sabe vem acontecendo em outras unidades de saúde, agora nessa gestão, do governo Wilson Lima”, relatou.

Desgoverno

Segundo o profissional, durante essa gestão do governador Wilson Lima, os diretores foram trocados. “Toda vez que muda a gestão do Estado, mudam os gestores das unidades. O que tem acontecido nessa última gestão, é a corrupção que está em peso, pelo menos lá na Policlínica Codajás. Já fomos na SES-AM, na Casa Civil, no Ministério Público e nada foi resolvido’, disse.

Monitoramento

Com medo de nossas denúncias com fotos e vídeos, realizados pelos próprios funcionários que não aguentam mais, as unidades de saúde receberam dezenas de câmeras de segurança. “A gente é monitorado por câmeras em todos os momentos, cada passo que damos é registrado”, pontuou.

Pagamento

Uma das reclamações dos funcionários, são os descontos excessivos. “Todo funcionário sobe para assinar a folha de ponto ciente do que aconteceu, se faltou ou não. Só que acontece o seguinte, há um mês atrás quando os funcionários subiram para assinar, muitos não tinham faltas, mas quando receberam seus salários vieram descontado, com sete até 30 faltas e não tinha justificativa para isso”, lamentou.

Medo

Após a denúncia realizada por essa coluna, onde expomos que na Policlínica Gilberto Mestrinho possui guardado em uma sala fechada, respiradores pulmonares que vieram do Hospital de Campanha da Nilton Lins, funcionários informaram que houve a instalação de mais de 30 câmeras de segurança para monitorar o passo a passo interno de cada profissional da saúde.

*Apresentador do programa AMAZONAS DIÁRIO

Anúncio