Relação empresarial da esposa do secretário de fazenda do Wilson Lima pode caracterizar tráfico de influência

Esposa de Alex Del Giglio é sócia de empresário ligado ao Consórcio Zona Norte, responsável pela obra Delphina Aziz, que custou R$ 250 milhões

Manaus – Esposa de Alex Del Giglio, secretário da Sefaz citado como integrante da “Comissão Interventora” da Susam, é sócia de empresário ligado ao Consórcio Zona Norte, responsável pela construção do Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz. Na época, a construção da unidade de saúde custou R$ 250 milhões e o consórcio deverá receber até o final do contrato, cerca de R$ 2,5 bilhões. É o maior contrato da Susam.

Ligações entre empresas amigas

O maior contrato da Susam, o Consórcio Zona Norte que atualmente recebe da Susam cerca de R$ 12,4 milhões por mês, é formado por três empresas, a SH Engenharia e Construções Ltda, Abengoa Concessões Brasil Holding S.A. e Magi Clean Serviços e Empresas Ltda, a última tem como sócios Bernadino José Marques Júnior e José Ricardo Biazzo Simom. José é sócio de Rosemeire Camilo Nunes Del Giglio, na Profit Câmbio e Serviços Financeiros Ltda. Rosemeire é esposa de Alex Del Diglio, atual secretário de fazenda (Sefaz).

Sefaz participa da “Comissão Interventora”

O secretário Alex Del Diglio está, supostamente, envolvido na “Comissão Interventora da Susam” criada pelo governador Wilson Lima após o escândalo do superfaturamento dos respiradores e os membros da ‘Comissão’ atuavam diretamente nos processos contratuais da Susam orientando a flexibilizar e facilitar condições para processos licitatórios, segundo depoimento da ex-gerente de compras da Susam, Alcineide Figueiredo à Polícia Federal.

Ganhos 10x mais em construção

Segundo informações, a Parceria Pública-Privada (PPP) foi firmada em 2013 e tem vigência até 2033 para a construção, fornecimento de equipamentos, manutenção, aparelhamento e gestão dos serviços não assistenciais do Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz. O valor estimado para a construção da unidade de saúde foi de R$ 250 milhões. De acordo com o Portal da Transparência, o Consórcio Zona Norte recebia mensalmente R$ 9,8 milhões, mas durante a pandemia de Covid-19 desde abril até setembro o valor subiu, para R$ 12,4 milhões. No total, será repassado R$ 2,5 bilhões, cerca de 10 vezes a mais do valor gasto para a construção do hospital.

Comissão está na mira da polícia federal

Fontes revelam que, a qualquer momento, os secretários envolvidos na “Comissão Interventora” poderão ser demitidos porque a Polícia Federal colheu o depoimento da ex-gerente de compras da Susam, Alcineide Figueiredo, após ser presa na “Operação Sangria”. De acordo com o depoimentos, faziam parte da Comissão: Marcellus Campelo, atual Secretário de Saúde do Amazonas (Susam); Walter Siqueira Brito, presidente do Centro de Serviços Compartilhados (CSC); Rodrigo de Sá Barbosa, diretor do Detran-A; Flávio Antony Filho, da Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS); Leandro Benevides da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti); Alex Del Giglio da Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz), entre outros diretores de órgãos e secretarias estratégicas do governo.

*Apresentador do programa AMAZONAS DIÁRIO

Anúncio