Secretária pessoal de Wilson Lima é suspeita de levar propina em bolsa

Lúcia Carla Gama Rodrigues foi flagrada entrando em um escritório particular, suspeito de promover encontros para pagamento de propina, de acordo com investigações da PF e MPF

Manaus – A secretária pessoal do Governador Wilson Lima, Lúcia Carla Gama Rodrigues foi flagrada entrando em um escritório particular, suspeito de promover encontros para pagamento de propina, de acordo com investigações da Polícia Federal e Ministério Público Federal. Lúcia Carla entrou na sala para a reunião com uma bolsa e saiu de mãos vazias. Ela é uma pessoa de extrema confiança do governador do Amazonas, já que é secretária pessoal de Wilson Lima desde o início do mandato. O livro de visitas do prédio, também mostra a presença da deputada estadual Alessandra Campêlo no dia 20 de maio.

Operação Sangria

A Polícia Federal suspeita no inquérito da segunda fase da Operação Sangria, deflagrada do dia 8 deste mês, que o escritório particular no bairro Adrianópolis, na zona centro-sul de Manaus, servia para acertos de propina entre a cúpula do governo, parlamentares e empresários.

Secretária do governador

Com exclusividade, a investigação da Polícia Federal (PF) e Ministério Público Federal (MPF) teve acesso a imagens do circuito de segurança do prédio comercial. No dia 18 de maio, a secretária do governador Wilson Lima (PSC), Lúcia Carla, é flagrada entrando na reunião com uma bolsa. Após alguns minutos, a servidora sai da sala sem a bolsa, com as mãos vazias.

Supersalários

No início de setembro, esta coluna denunciou os supersalários do Governo do Amazonas. Uma dessas pessoas que possui salário de secretário de Estado é Lúcia Carla Gama Rodrigues que recebe cerca de R$ 28,5 mil por mês. No site do Governo do Amazonas, é possível verificar que o nome de Lúcia aparece como Secretária Chefe do Gabinete Pessoal do Governador. De acordo com o Portal da Transparência do Amazonas, Lúcia aparece na folha de pagamento da Casa Civil. Mas, trabalha no Gabinete Particular do Governador do Amazonas, Wilson Lima.

Governadores

A secretária chefe do Gabinete Pessoal do Governador, Lúcia Carla é como ácaro e os ácaros são especialistas na arte da adaptação. Os palácios não são dos governantes, eles pertencem aos ácaros. Os governos passam e os ácaros ficam e estão ali, observando tudo. Lúcia é uma espécie de ácaro do governo, ela já trabalhou nos governos de Omar Aziz e José Melo como chefe de comunicação e, atualmente, trabalha para Wilson Lima. O ex-governador José Melo foi preso pela Polícia Federal em dezembro de 2017, durante a Operação Estado de Emergência, uma das fases da Operação Maus Caminhos, onde mais de R$ 110 milhões foram desviados da saúde pública. Omar, foi indiciado por corrupção passiva na Operação Maus Caminhos.

Visitinhas

No mesmo prédio comercial, onde Lúcia Carla foi flagrada, outro encontro foi revelado. Registro de visitantes do prédio, apontam o nome da deputada estadual Alessandra Campêlo. Esse encontro da parlamentar com a cúpula do governo foi revelado com exclusividade por esta coluna no dia 10 deste mês. Esse encontro que aconteceu no dia 20 de maio, acendeu um alerta nas investigações da Operação Sangria onde enfatizaram que após esta reunião a parlamentar “foi nomeada presidente da comissão de impeachment do governador Wilson Lima e vice Carlos Almeida. Por conseguinte, no dia 06 de agosto, o processo de impeachment foi arquivado pela Assembleia Legislativa, sendo que Alessandra foi uma das que votou pelo arquivamento”, diz o documento do MPF. O documento ainda cita a nomeação de Marcellus Campêlo, primo de Alessandra para a secretário de saúde.

Anúncio