Últimos dias: PGR pede afastamento de Wilson Lima e deputados estaduais dos 5%

Novas informações confirmam que a Procuradoria Geral da República (PGR) solicitou o afastamento do governador e de 12 deputados envolvidos

Manaus – Há dias esta coluna vem avisando “cuidado Wilson Lima, cuidado deputados dos “5%”. Segundo informação de uma fonte na capital do Brasil, nós revelamos que estão investigando o governador do Amazonas Wilson Lima e os deputados que apareceram em uma lista, escrita à mão, encontrada no gabinete dele pelos investigadores da operação Sangria. Novas informações confirmam que a Procuradoria Geral da República (PGR) solicitou o afastamento do governador e de 12 deputados envolvidos.

Tempestade

O mês de novembro antecede o conhecido ‘inverno amazônico’, fazendo os dias ficarem nublados e com pancadas de chuvas que se tornaram tempestades em cima dos oito deputados estaduais que aparecem na lista escrita à mão com a cifra de 5%, encontrada dentro do gabinete do governador durante busca e apreensão realizada pelos investigadores da operação Sangria. Mas, segundo informações ao todo, 12 deputados que poderão ser afastados e nenhum deles vão poder manter contato com os outros investigados.

Aviso

Nós já havíamos denunciado que este mês seria decisivo para o Governo do Amazonas e para alguns deputados da base governista dentro da Assembleia Legislativa do Estado (ALE). O desdobramento da operação Sangria que investiga crimes de desvio de recursos públicos no combate à pandemia do novo coronavírus, fraude em licitação, peculato, lavagem de dinheiro e crime contra o sistema financeiro foi decisivo.

Governo

Segundo informações confidenciais, a Procuradoria Geral da República (PGR) solicitou o afastamento de Wilson Lima, governador do Amazonas por causa do andamento das investigações da operação Sangria. De acordo com a fonte, a PGR também pediu o afastamento dos deputados estaduais envolvidos na lista dos 5% ao Ministério Público Federal (MPF) como medida cautelar, pois houve denúncias de que eles estariam prejudicando as investigações e dificultando o acesso às provas.

Operação Sangria

As investigações da operação Sangria pela Polícia Federal (PF) e Ministério Público Federal (MPF) iniciaram após denúncias de que o Governo do Amazonas teria comprado ventiladores pulmonares que não tinham especificação correta para tratamento de pacientes infectados pelo novo coronavírus (Covid-19). A previsão inicial no processo de compra seriam respiradores para unidade de tratamento intensiva (UTI), ao invés disso, foi adquirido ventilares para transporte.

Superfaturamento

Os ventiladores pulmonares foram comprados pelo Governo do Amazonas em uma loja de vinhos no bairro Vieiralves por R$ 2,9 milhões com sobrepreço de 316%. Em entrevista com o jornalista investigativo Roberto Cabrini, perguntou ao chefe do Estado sobre o gasto na pandemia de Covid-19, o governador Wilson Lima gaguejou durante sua resposta e revelou que não sabia ao certo o quanto o governo teria investido em saúde pública.

Amazonas

Segundo pesquisa da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), os Estados do Amazonas, Ceará e Pará foram os mais afetados pela pandemia. No nosso Estado, a taxa de mortalidade foi de 39,1 para cada 100 mil habitante, número quatro vezes maior que a média nacional que é de 9,5.

*Apresentador do programa AMAZONAS DIÁRIO

Anúncio