Wilson Lima comeu abiu diante da denúncia de genocídio, feita pelo vice-governador

Segundo o vice, a política de ‘imunidade rebanho’ adotada pelo governo do Amazonas, levou a saúde pública da capital amazonense ao colapso

Nos últimos dias, uma denúncia que foi realizada pelo vice-governador Carlos Almeida contra as medidas adotada pelo governador Wilson Lima durante a pandemia de Covid-19, está chamando atenção. Segundo o vice, a política de ‘imunidade rebanho’ adotada pelo governo do Amazonas, levou a saúde pública da capital amazonense ao colapso, consequentemente, muitas mortes foram registradas nos dois picos da pandemia. Se comprovada a denúncia, o governador Wilson Lima, cometeu um crime contra a humanidade, um genocídio.

Imunidade rebanho

Nesta quinta-feira (6), o vice-governador Carlos Almeida concedeu entrevista para um veículo de comunicação nacional, a Folha de São Paulo, onde relatou diversos acontecimentos do atual governo do estado e também o motivo do seu rompimento com o governador Wilson Lima. Na entrevista, o vice culpou o governador por adotar política pública que previa a ‘imunidade rebanho’, que seria basicamente, um grupo ou comunidade, ‘atingir um ponto em que há uma quantidade suficiente de pessoas imunes ao vírus, interrompendo a transmissão comunitária. E, com menos indivíduos suscetíveis ao vírus, ele vai aos poucos deixando de circular’.

Governo

Segundo o vice, o governador do Amazonas, Wilson Lima, transformou Manaus em um laboratório gerador da nova cepa de Covid-19, que até o último boletim divulgado pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), matou mais de 12,7 mil pessoas. Almeida citou a postura adotada por Lima, próximo a deflagração da Operação Sangria pela Polícia Federal que investiga a compra superfatura de ventiladores pulmonares pelo Governo do Amazonas em uma loja de vinhos. “Quando houve envolvimento do governador na operação da Polícia Federal, a estratégia foi mostrar alinhamento. Uma coisa era clara, a política era de afirmar que se tinha uma imunidade de rebanho. O que acabou acontecendo foi um laboratório, a P1 encontrou ambiente adequado”, disse Carlos Almeida.

 

Genocídio

Se ficar comprovada a denúncia de que o governo do Amazonas adotou como estratégia, deixar a população amazonense se infectar propositalmente para que o estado atingisse a chamada ‘imunidade rebanho’, onde muitas mortes aconteceram, o governador Wilson Lima estará cometendo genocídio contra a população. Já que durante a pandemia de Covid-19 no Amazonas, muitas mortes aconteceram. Em um comparativo, se Manaus fosse um país, seria o maior do mundo em número de mortes por 100 mil habitantes em decorrência da infecção pelo vírus.

Investigações

Se essa decisão do governo do Amazonas em tornar Manaus um local propício para a ‘imunidade rebanho’ for comprovada por meio de investigações, a postura adotada por Lima será um crime contra a humanidade, sendo considerado genocídio. Os membros da CPI da Covid, no Senado Federal, apresentaram um requerimento solicitando a presença do vice-governador, para ouvir sobre suas declarações contra Wilson Lima.

Anúncio